Porto de Sines continua a bater recordes em 2016

Porto alentejano já tem uma quota de 54,5% no setor portuário nacional e é o único a subir no acumulado dos primeiros dez meses deste ano.

Bobby Yip/Reuters

Nos primeiros dez meses do ano, o porto de Sines reforçou a sua posição de líder no setor portuário nacional, passando a deter 54,5% do total do movimento de mercadorias, com um total de 42,1 milhões de toneladas, mais 5,3 milhões de toneladas do que no mesmo período de 2015.

Com este comportamento, o porto alentejano conseguiu absorver a quebra de 2,7 milhões de toneladas verificada nos restantes portos portugueses.

Segundo os dados hoje disponibilizados pela AMT – Autoridade da Mobilidade e dos Transportes, as seguir a Sines, os portos de Leixões, Lisboa e Setúbal, respetivamente com quotas de 19,6%, 10,5% e 7,7%.

O relatório da AMT destaca que “os portos comerciais do continente registaram a melhor marca de sempre no volume de mercadorias movimentadas, atingindo 77,3 milhões de toneladas de carga”.

No entanto,  foi Sines o “único porto responsável por este crescimento”.

Nos primeiros dez meses do ano, os portos comerciais do continente movimentaram 77,3 milhões de toneladas de carga, o valor mais elevado de sempre registado nos períodos homólogos, excedendo em 3,6% o de 2015, um acréscimo de 2,7 milhões de toneladas.

Mais uma vez a AMT destaca que “este comportamento positivo do sistema portuário continental deve-se exclusivamente ao porto de Sines, que cresceu 14,5%, anulando, assim, as quebras verificadas nos restantes portos”.

“Importa referir que o reforço da posição de Sines durante os últimos meses, a par de Leixões, não é alheia ao facto do Terminal Oceânico de Leixões estar, desde março, totalmente paralisado para manutenção em estaleiro da monoboia. A atividade foi reiniciada no mês de outubro, tendo, no entanto, levado a que cerca de 1,7 milhões de toneladas de Petróleo Bruto destinadas a Leixões tivesse passado por Sines e sido reembarcadas em navios de menor dimensão”, explica o comunicado da AMT.

Entre janeiro e outubro de 2016, o volume de contentores movimentados nos portos do Continente ultrapassou 2,2 milhões de TEU (medida-padrão equivalente a contentores com 20 pés de comprimento), refletindo um crescimento de 0,5% e de 1,9% face ao período homólogo de 2015, “representando assim as melhores marcas de sempre”, segundo a AMT.

“Este comportamento resulta da conjugação das variações positivas em Sines de 8%, de 34,3% em Setúbal, de 5,1% em Leixões e de 14,4% na Figueira da Foz”, acrescentas o órgão regulador liderado por João Carvalho.

 

Relacionadas

Porto de Sines com nova rede de emergência

A nova administração do porto alentejano mostrou a todas as entidades envolvidas a nova rede de emergência digital.
Recomendadas

Bruxelas quer que plataformas passem a cobrar IVA para evitar concorrência desleal

De acordo com as atuais regras de IVA, são os próprios prestadores de serviço – sejam motoristas ou donos de alojamento local – que são obrigados a coletar o IVA e a remiti-lo para as autoridades tributárias do seu país.

UE dá luz verde a entrada de Croácia no espaço Schengen

Com esta aprovação, pelos ministros dos Assuntos Internos da UE, seguindo a recomendação da Comissão Europeia de 16 de novembro, a Croácia deixará de ter fronteiras internas com os outros países do espaço Schengen.

Trabalhadores do MNE português no Brasil vão ter atualização salarial de 48,9%

Os trabalhadores nos postos consulares e missões diplomáticas no Brasil vão ter as suas remunerações atualizadas em 48,9%, a mesma percentagem da depreciação monetária acumulada do real, segundo legislação publicada em Diário da República.
Comentários