PremiumPortos registam quebra de 2,7% nas mercadorias no primeiro semestre

As administrações portuárias nacionais receberam menos navios e movimentaram menos mercadorias na primeira metade deste ano.

As administrações portuárias nacionais registaram uma quebra da atividade no primeiro semestre deste ano. Segundo uma análise efetuada pelo Jornal Económico, baseada nos dados publicados pelo INE – Instituto Nacional de Estatística nos primeiros dois trimestres deste ano, na primeira metade deste ano a atividade marítima nacional registou uma queda de 0,82% no que respeita ao número de embarcações entradas nos portos nacionais. Nos primeiros seis meses deste ano, entraram nos portos nacionais 7.038 embarcações, um valor inferior ao verificado no período homólogo de 2017 – 7.096 embarcações.

Segundo essas estatísticas do INE, a quebra de atividade do setor portuário foi ainda mais acentuada no que respeita ao movimento de mercadorias, que passaram de 46,7 milhões de toneladas no primeiro semestre do ano passado para 45,45 milhões de toneladas nos primeiros seis meses deste ano, o que representou uma descida de 2,7%.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Bruxelas quer que plataformas passem a cobrar IVA para evitar concorrência desleal

De acordo com as atuais regras de IVA, são os próprios prestadores de serviço – sejam motoristas ou donos de alojamento local – que são obrigados a coletar o IVA e a remiti-lo para as autoridades tributárias do seu país.

UE dá luz verde a entrada de Croácia no espaço Schengen

Com esta aprovação, pelos ministros dos Assuntos Internos da UE, seguindo a recomendação da Comissão Europeia de 16 de novembro, a Croácia deixará de ter fronteiras internas com os outros países do espaço Schengen.

Trabalhadores do MNE português no Brasil vão ter atualização salarial de 48,9%

Os trabalhadores nos postos consulares e missões diplomáticas no Brasil vão ter as suas remunerações atualizadas em 48,9%, a mesma percentagem da depreciação monetária acumulada do real, segundo legislação publicada em Diário da República.
Comentários