Portucel aumenta vendas e lucro à boleia dos preços de pasta e papel

A Portucel anunciou, esta manhã um acréscimo de 6,6% no resultado líquido nos primeiros nove meses de 2015, para de 141,9 milhões de euros, que comparam com 133,1 milhões registados no período homólogo de 2014. Na informação entregue à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a papeleira informa igualmente que o seu volume de […]

A Portucel anunciou, esta manhã um acréscimo de 6,6% no resultado líquido nos primeiros nove meses de 2015, para de 141,9 milhões de euros, que comparam com 133,1 milhões registados no período homólogo de 2014.

Na informação entregue à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a papeleira informa igualmente que o seu volume de negócios cresceu 5,8%, para 1,2 milhões de euros, com “evolução favorável do preço da pasta e do papel”.

O EBITDA (resultados antes de impostos, juros e amortizações) atingiu 294 milhões euros, aumentando 23,2%.

A empresa justifica este crescimento com a “evolução favorável dos preços de pasta e de papel“, devido a um dólar mais forte e à consolidação do negócio de tissue.

O grupo afirma ter avançado com o seu plano de desenvolvimento estratégico, tendo concluído algumas etapas como “o arranque da nova capacidade de pasta em Cacia”, que permitiu “um aumento de produção anual de 20%”.

A Portucel destaca também a “conclusão e arranque da segunda máquina de produção de ‘tissue’ em Vila Velha de Ródão” e a “construção e inauguração do Viveiro de Luá, na Zambézia, com capacidade para produzir 6 milhões de plantas clonais por ano”.

No plano do investimento, destaque ainda para a “decisão de crescimento no segmento ‘tissue’, reforçada com a opção de investimento de 121 milhões numa nova linha integrada, com capacidade de 70 mil toneladas por ano (condicionada à decisão favorável sobre a candidatura aos incentivos financeiros e fiscais).”.

A papeleira refere ainda que o rácio de endividamento se manteve “em níveis prudentes”.

OJE

Recomendadas

Maxyield lembra que método contabilístico da Galp diminuiu a subida dos lucros numa altura de “windfall taxes”

A Maxyield diz que “não pode deixar de referir que os  próximos relatórios de Governo Societário da Galp, poderão produzir indícios sobre as razões da renúncia do CEOAndy Brown e papel do acionista Estado através da Parpública que detém 7,5% do capital, face às considerações públicas daquele sobre o impacto da windfall na companhia e na evolução do setor no país”. 

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Sindicatos põem bancos a negociar com Governo a inclusão dos reformados no “pacote” para mitigar inflação

“Os bancos concordaram com a viabilidade da sugestão dos sindicatos, tendo-se comprometido a apresentá-la ao Governo”, avançam as estruturas sindicais da UGT.