Portugal 2020. Escassez de capital é fator crítico de sucesso

Atualmente, a principal alavanca de financiamento à competitividade e internacionalização das PME para os próximos anos é o Portugal 2020. Cerca de 40% dos 25 mil milhões de euros do quadro de apoio destina-se a estimular a competitividade e a internacionalização, com particular enfoque nas PME que são destinatárias de cerca de 25% do investimento. […]

Atualmente, a principal alavanca de financiamento à competitividade e internacionalização das PME para os próximos anos é o Portugal 2020. Cerca de 40% dos 25 mil milhões de euros do quadro de apoio destina-se a estimular a competitividade e a internacionalização, com particular enfoque nas PME que são destinatárias de cerca de 25% do investimento.

Para a Leadership Business Consulting, experiente no acompanhamento das candidaturas ao novo quadro comunitário, não é ao nível dos critérios de elegibilidade que estão as principais dificuldades das PME.

“O enquadramento dos projetos nos programas, a elaboração, submissão e gestão operacional da execução das candidaturas continua a ser uma atividade que se revela complexa para a maioria da PME, à semelhança do que acontecia no QREN”, explica.

Nesta sua análise, a consultora frisa ainda que outra limitação relevante sentida pelas PME, talvez mesmo a mais relevante, e que constitui um dos fatores críticos de sucesso do Portugal 2020, prende-se com a escassez de capital. “Não obstante existirem taxas de financiamento elevadas, a necessidade de assegurar a componente relacionada com a contrapartida própria representa uma forte limitação no acesso ao Portugal 2020 e na decisão de avançar com uma candidatura”, esclarece.

Adicionalmente, o tempo que medeia o momento de aprovação das candidaturas e o momento em que os pagamentos entram no cash flow das empresas coloca uma pressão de tesouraria que nem todas as entidades estão disponíveis para enfrentar.

A Leadership Business Consulting considera assim “fundamental que as PME estabeleçam parcerias que lhes permitam maximizar as probabilidades de sucesso de uma candidatura ao Portugal 2020, sejam elas com entidades de cariz associativo, empresas especializadas na elaboração de candidaturas, a banca, ou outras entidades”.

Ainda assim, não deixa de frisar que existem critérios de elegibilidade definidos que têm de ser cumpridos: contabilidade organizada; não ter salários em atraso; ter uma situação económico-financeira equilibrada ou ter concluído os projetos anteriormente aprovados ao abrigo da mesma tipologia de projetos, exceto para a modalidade de candidatura projetos conjuntos (entre outros critérios de igual relevância).

 

Por Sónia Bexiga/OJE

Recomendadas

Trabalhadores do MNE português no Brasil vão ter atualização salarial de 48,9%

Os trabalhadores nos postos consulares e missões diplomáticas no Brasil vão ter as suas remunerações atualizadas em 48,9%, a mesma percentagem da depreciação monetária acumulada do real, segundo legislação publicada em Diário da República.

Turismo de Lisboa espera recuperação na quadra natalícia para níveis próximos de 2019

O turismo da região de Lisboa deverá recuperar na quadra natalícia deste ano, em comparação com 2021, aproximando-se dos números registados antes da pandemia de covid-19, segundo o diretor-geral do Turismo de Lisboa, Vítor Costa.

Patrões portugueses gastam menos com cada trabalhador do que a média europeia

É no Luxemburgo que os patrões pagam mais aos seus trabalhadores por hora trabalhada e na Bulgária onde pagam menos. Portugal está vários lugares acima deste último Estado-membro, mas bem abaixo da média comunitária, revela o Eurostat.