Portugal acolhe mais 273 refugiados do Afeganistão

Neste grupo encontram-se membros do Instituto Nacional de Música do Afeganistão. Número de refugiados afegãos em Portugal sobe para 764.

Portugal recebeu hoje, 273 pessoas de nacionalidade afegã, aumentando para 764 o número de refugiados recebidos deste país, depois de os talibãs terem regressado este ano ao poder com a saída do exército norte-americano do país em agosto.

Neste grupo encontram-se membros do Instituto Nacional de Música do Afeganistão (Afghanistan National Institute of Music – ANIM), segundo um comunicado do Governo português divulgado esta segunda-feira, 13 de dezembro.

“Os cidadãos acolhidos correspondem às prioridades definidas: cidadãos portugueses; afegãos que colaboraram com as nossas Forças Nacionais Destacadas, afegãos que colaboraram com a União Europeia, com a NATO e com as Nações Unidas; e pessoas em situação particularmente vulnerável como, por exemplo, ativistas de direitos humanos, funcionários da administração afegã, jornalistas, músicos, mulheres desportistas, mulheres juristas e mulheres engenheiras”,

Esta operação envolveu as “autoridades nacionais e do Qatar, assim como organizações norte-americanas, tendo os 273 cidadãos sido acolhidos provisoriamente em unidades de acolhimento da Grande Lisboa, devendo ser transferidos, posteriormente, para habitações autónomas”.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Banco Mundial revê crescimento da África subsaariana em baixa para 3,3% este ano

“Os ventos contrários globais estão a abrandar o crescimento económico africano, com os países a continuarem a lidar com a subida da inflação e as dificuldades no progresso na redução da pobreza”, lê-se no relatório Pulsar de África, hoje divulgado em Washington, nas vésperas dos Encontros Anuais do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

São Tomé: Presidência da CPLP sublinha “espírito positivo de todos os atores políticos”

“O Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço, presidente da CPLP, mandou-me aqui a São Tomé para conversar com as autoridades locais, também com outros autores da sociedade de São Tomé e Príncipe, neste momento histórico em que o país acaba de passar por um processo eleitoral”, disse o ministro das Relações Exteriores de Angola, Teté António, após um encontro com o Presidente são-tomense, Carlos Vila Nova.
Comentários