Portugal acompanha aumento europeu no saldo da conta corrente

Eurostat divulga dados sobre excedentes na conta corrente da zona euro. Portugal teve um excedente da conta corrente de 82 milhões de euros em outubro deste ano.

Outubro foi um mês favorável para as trocas na zona euro. O excedente da conta corrente aumentou não só face a setembro, mas também ao período homólogo de 2015, de acordo com informações divulgadas esta terça-feira pelo Eurostat. Portugal acompanha a tendência europeia, mas o excedente é menor.

A conta corrente diz respeito as transações que ocorrem na zona euro e internacionalmente, sobretudo trocas de bens e serviços. No passado mês de outubro, o excedente desta conta subiu para 28,4 mil milhões de euros, um aumento de sete milhões de euros em relação ao mês anterior. No mesmo período do ano passado, o excedente da conta corrente foi 24,0 mil milhões.

Os dados nacionais mostram que Portugal teve um excedente da conta corrente de 82 milhões de euros em outubro deste ano, um valor que aumentou face aos 37 milhões registados no mesmo período do ano passado. Entre novembro de 2015 e junho de 2016, a conta corrente portuguesa registou valores negativos.

A conta de serviços no conjunto dos Estados-membros da UE teve um saldo de 9,3 mil milhões de euros, um aumento relativamente aos 4,8 mil milhões de euros em setembro e aos 3,6 mil milhões de euros em outubro de 2015. O excedente da conta de operações correntes da UE também aumentou de 17,4 mil milhões em setembro e o de 7,3 mil milhões de euros em outubro de 2015 para 16,1 mil milhões de euros em outubro de 2016.

Por outro lado, o saldo da conta de bens da zona euro recuou em outubro de 2016 para valores mais baixos do que no ano passado, com um excedente de 26 mil milhões de euros. Em setembro, tinha-se registado um excedente de 31,8 mil milhões e em outubro do ano passado, de 30,7 mil milhões.

No que diz respeito aos rendimentos, o excedente dos primários aumentaram de mil milhões em outubro de 2015 e 5,1 mil milhões em setembro para 6,1 mil milhões de euros em outubro de 2016. A conta de rendimentos secundários registou um défice de 13 mil milhões de euros, sendo que havia registado 11,5 mil milhões de euros de défice no período homólogo e 14 mil milhões de euros de défice em setembro.

Recomendadas

FMI estima que a espiral de salários-preços ainda é um “risco limitado”

A ausência de uma espiral preços-salários não deve levar os líderes a não agirem para combater a inflação persistente, considera ainda o Fundo Monetário Internacional.

Compra de carros de luxo pela TAP “é um problema de bom senso”, diz Marcelo Rebelo de Sousa

“Já falei em relação a várias entidades públicas no passado e em relação à distribuição de dividendos e em relação aos salários e entendo que quando se está num período de dificuldade deve fazer-se um esforço para dar o exemplo de contenção”, defendeu hoje Marcelo Rebelo de Sousa.

Albergaria investe 3,7 milhões de euros na zona industrial para captar investimento e criar emprego

O município “tem realizado um forte investimento no desenvolvimento económico, dinamizando o sector empresarial e a economia local” nos últimos anos, segundo António Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha.
Comentários