Portugal é o campeão dos divórcios na Europa

Apenas 30% dos casamentos em Portugal cumprem a promessa matrimonial do “até que a morte nos separe”.

Portugal é o país da União Europeia com maior número de divórcios. De acordo com um estudo revelado esta sexta-feira pela Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS), em cada 100 casamentos, 70 resultam em divórcio.

O estudo da FFMS, “Retrato de Portugal na Europa”, mostra que só em 2013 houve mais de 22 mil divórcios em Portugal, o que, se compararmos com 1986, em que se contabilizaram 8.400 divórcios, representa um aumento na ordem dos 62%.

A Dinamarca e o Luxemburgo completam o top 3 na lista dos países onde os casais mais se divorciam. Malta é classificada como o país que melhor cumpre os votos matrimoniais, apresentado a taxa mais baixa de divórcios na Europa.

Em relação aos casamentos, o estudo revela uma diminuição significativa nos números. Em 2015 realizaram-se 32 mil uniões formalizadas, o que representa uma queda quase para metade em comparação com as 60 mil em 1986.

Portugal aparece em quinto lugar na lista dos países europeus com mais crianças nascidas fora dos casamentos. A Bulgária lidera o ranking com quase 60% de crianças nascidas fora do casamento.

Recomendadas

Plataforma NAU vence Prémio ISCTE Políticas Públicas 2022

Segundo Francisco Santos, Vice-Presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, que disponibiliza a plataforma, o objetivo passa por “fazer crescer a oferta e continuar a ser uma mais-valia para entidades parceiras e, acima de tudo, para os cidadãos”.

Imigrantes do Bangladesh denunciam extorsão para obter vistos para Portugal

Um dos problemas para os bengalis está no facto de não existir representação diplomática portuguesa no seu país, o que os força a terem que recorrer à vizinha Índia. Entre Daca, capital do Bangladesh, e Nova Deli, capital da Índia, distam mais de 1.800 quilómetros.

Metro do Porto diz a Moreira que já formalizou “aceleração da empreitada” da Linha Rosa

Em 10 de novembro, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira manifestou-se preocupado com o “impacto profundamente negativo” da construção da nova Linha Rosa da Metro do Porto que, defende, apresenta “excessivos atrasos” em “praticamente todas as frentes”, revela um ofício enviado à empresa.
Comentários