Portugal com recuo no consumo ‘per capita’ para 84% da UE em 2020

Portugal apresentou, em 2020, um consumo individual efetivo de 84% da média da UE, um recuo face aos 86% de 2019, estando no 15.º lugar de uma tabela liderada pelo Luxemburgo (145%), segundo o Eurostat.

Por outro lado, de acordo com dados do serviço estatístico da União Europeia (UE), o Produto Interno Bruto (PIB) ‘per capita’ português foi, no ano passado, de 76% da média da UE, também um recuo face aos 79% de 2019, o que coloca o país em 19.º lugar entre os 27 Estados-membros.

A tabela do consumo individual efetivo ‘per capita’ – expresso em paridade de poder de compra – é liderada pelo Luxemburgo (145%, um recuo face aos 149% de 2019), seguindo-se a Alemanha (124%) e a Dinamarca (122%).

A Bulgária está no último lugar da tabela de consumo individual (61% da média da UE, seguindo-se a Croácia (70%), a Letónia e a Hungria (70% cada).

No que respeita ao PIB ‘per capita’, o Luxemburgo lidera a tabela e viu o seu aumentar para 263% face a 254% de 2019, seguindo-se a Irlanda (209%) e a Dinamarca (135%).

A Bulgária (55%, face aos 53% de 2019), a Grécia (62%) e a Croácia (64%) ocupam o fim da tabela, com maior distância da média da UE.

Recomendadas

OE2022. Pagamentos em atraso sobem para 778,1 milhões até agosto

Os pagamentos em atraso das entidades públicas atingiram os 778,1 milhões de euros em agosto, um aumento em 157,6 milhões de euros face ao mesmo período do ano anterior, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

OE2022. Receita fiscal do Estado aumenta 22,8% até agosto para 33,5 mil milhões

A receita fiscal do Estado aumentou 22,8% até agosto face ao mesmo período do ano passado, totalizando 33.511,5 milhões de euros, segundo a Síntese da Execução Orçamental divulgada esta segunda-feira.

OE2022. Resposta à Covid-19 custou ao Estado 2.835,2 milhões até agosto

A resposta à covid-19 custou 2.835,2 milhões de euros até agosto, devido à perda de receita em 464,5 milhões de euros e ao aumento da despesa em 2.370,7 milhões, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).
Comentários