Portugal cresce acima da zona euro que estabilizou no terceiro trimestre

A contribuir para esta evolução esteve o aumento de 0,5% do consumo das famílias na zona euro e na União Europeia a 28, enquanto o investimento avançou 0,3%, uma queda abrupta após ter aumentado 5,7% na zona euro e 4,3% na UE28 no trimestre anterior. 

A economia da zona euro cresceu 1,2%, em termos homólogos, no terceiro trimestre, com Portugal a continuar a registar uma expansão acima da média dos 19 países da moeda única, segundo dados do Eurostat, publicados esta quinta-feira.

Os dados do organismo de estatística revelam ainda que o PIB da União Europeia a 28 desacelerou para 1,4%, menos uma décima do que no trimestre anterior.

O Eurostat, que confirma a estimativa divulgada em novembro, revela que em cadeia, a economia da zona euro estabilizou nos 0,2% entre julho e setembro, enquanto nos 28 países da União Europeia cresceu 0,3%, menos uma décima do que no anterior trimestre.

Portugal continua a crescer acima da média europeia, com uma expansão do PIB de 1,9% em termos homólogos e 0,3% em cadeia. Mas, foi a Polónia, a Hungria e a Estónia que lideraram o crescimento em termos homólogos, ao registar 1,3%, 1,1% e 1%.

A contribuir para esta evolução esteve o aumento de 0,5% do consumo das famílias na zona euro e na União Europeia a 28, enquanto o investimento avançou 0,3%, uma queda abrupta após ter aumentado 5,7% na zona euro e 4,3% na UE28 no trimestre anterior.

Já as exportações aumentaram 0,4% na zona euro, duas décimas acima do que anteriormente, enquanto a média da UE28 recuperou para 1%. Por outro lado, as importações cresceram 0,6% na zona euro, abaixo dos 2,8% do trimestre anterior.

Recomendadas

Marques Mendes: “Costa Silva recupera autoridade ou sai. O país precisa de um ministro da Economia forte”

“De um Governo com maioria absoluta, à partida um Governo forte, esperava-se unidade, coesão, determinação, energia, mobilização, espírito reformista. O que encontrámos? Exatamente o contrário”, disse este domingo o comentador da SIC.

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

PCP defende aumento do salário mínimo nacional para 850 euros em janeiro

O secretário-geral do PCP acusou o Governo de querer “retomar todos os caminhos da política de direita, fazer comprimir ainda mais os salários, facilitar a exploração, abrir espaço para os negócios privados na saúde e na educação, condicionando ou justificando as suas opções com as orientações e imposições da União Europeia e do euro”.
Comentários