Portugal e Cabo Verde colaboram na integração de imigrantes

O projeto Coop4Int, que une os dois países, vai promover instrumentos de inclusão social que passam por maior acesso a formação profissional, produção e divulgação de dados sobre migração em Cabo Verde (estudos e campanhas de sensibilização) ou visitas de estudo entre Portugal e Cabo Verde.

Portugal e Cabo Verde apresentaram esta quarta-feira o seu projeto de cooperação para melhorar a integração dos imigrantes na sociedade cabo-verdiana, com um orçamento de 1,5 milhões de euros, financiado em 94,42% pelo Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração (FAMI), da União Europeia.

O projeto, designado “Coop4Int – Strengthening Migrant Integration through cooperation between Portugal and Cabo Verde”, arrancou a 1 de dezembro e tem uma duração de 37 meses, estando previsto que termine a 31 de dezembro de 2024. Esta quarta-feira realizou-se o evento conjunto que assinalou o arranque formal das atividades do projeto.

O principal objetivo do Coop4In é reforçar os mecanismos de integração dos imigrantes na sociedade cabo-verdiana e no mercado de trabalho. Ou seja, promover instrumentos de inclusão social que passam por maior acesso a formação profissional, produção, sistematização e divulgação de dados sobre migração em Cabo Verde (estudos e campanhas de sensibilização sobre tolerância), organização de visitas de estudo entre Portugal e Cabo Verde, entre outras medidas.

O evento de lançamento contou com a participação dos dois governos, bem como representantes da Comissão Europeia, do International Centre for Migration Policy Development (ICMPD), do Alto Comissariado para as Migrações, da Alta Autoridade para a Imigração, do Instituto Politécnico de Bragança e do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa.

Segundo a ministra de Estado e da Presidência, os fortes laços que unem Portugal e Cabo Verde “são convocados para encontrar repostas comuns aos desafios dos nossos tempos”. Na sua opinião, “a relação próxima e cordial” entre a Alta Autoridade para a migração e o Alto Comissariado para as Migrações “fica vertida num projeto robusto”. “As migrações são uma prioridade para o país”, destacou o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva.

Em comunicado, o gabinete de Mariana Vieira da Silva destaca que o Coop4Int “é financiado através da Migration Partnership Facility III, implementado pelo ICMPD, e traduz-se na implementação em Cabo Verde de uma resposta pública de apoio à integração de migrantes com características e funções similares ao modelo português, além do reforço das capacidades institucionais e da produção de estudos sobre a realidade migratória em Cabo Verde”.

Recomendadas

Cabo Verde quer cortar perdas de eletricidade na rede pública em 5,5 pontos em 2023

O Banco Europeu de Investimento vai financiar com 110 milhões de escudos (um milhão de euros) um programa para reduzir em 5,5 pontos percentuais as perdas de eletricidade na rede pública de distribuição em Cabo Verde em 2023, segundo o Governo.

CPLP: presidente da Guiné Equatorial à frente das contagens com 99,7% dos votos

A oposição denúncias fraude em massa e o único partido da oposição recusa reconhecer a vitória do líder octogenário, Teodoro Obiang. Há um mês, a CPLP congratulava-se com a integração do país como “Estado de pleno direito”.

Cabo Verde. Presidente assinala primeiro ano de mandato com críticas à crispação e avisos ao Governo

O Presidente da República cabo-verdiana, José Maria Neves, criticou hoje a “crispação” que permanece na política nacional, alertou que os tempos atuais “exigem consensos” e avisou que não é oposição, mas também não é “claque” do Governo.
Comentários