Portugal e Espanha terão de continuar a ter “exceção ibérica” no preço do gás

O primeiro-ministro disse que tem de continuar a haver uma “exceção ibérica” para os preços do gás mesmo que seja criado um novo mecanismo europeu, porque Portugal e Espanha continuam a ser “uma ilha” energética.

Portugal e Espanha negociaram com Bruxelas um “mecanismo ibérico” que fixou, desde junho passado, um preço máximo para o gás comprado pelas empresas para produzir eletricidade, também conhecido como “solução ibérica”, e que estará em vigor até maio de 2023.

“Aquilo em que temos de trabalhar é para renovar o nosso mecanismo”, afirmou hoje António Costa, em Madrid, onde esteve como secretário-geral do PS, no XVI Congresso da Internacional Socialista, sublinhando que, em média, os preços da eletricidade na Península Ibérica foram 13% inferiores ao que teriam sido sem a aplicação deste instrumento, mesmo num contexto de seca, em que houve pouca produção hidroelétrica e necessidade de usar mais gás.

“Pelo menos até agora, as propostas que a Comissão Europeia tem apresentado para a limitação do preço máximo do gás são mais elevadas do que os preços que estamos a conseguir com a solução ibérica”, afirmou Costa, acrescentando que, no entanto, e para além disso, “há uma realidade que ainda não se alterou” – a “taxa de integração no mercado europeu de energia muito baixa” da Península Ibérica, limitada a 3% de interconexão.

O governante disse, apesar de Portugal e Espanha terem conseguido um acordo com França para novos gasodutos entre Portugal, Espanha e França, “leva anos” até essa nova interconexão estar a funcionar.

“Até lá, continuamos na situação em que estamos, continuamos uma relativa ilha no mercado europeu e por isso faz sentido que continuemos a ser uma exceção ao mecanismo europeu de fixação dos preços”, afirmou.

O primeiro-ministro e líder do PS acrescentou que, por outro lado, o novo mecanismo europeu que vier a ser criado “não é necessariamente alternativo à solução ibérica, pode ser complementar”, porque o instrumento que está a ser aplicado em Portugal e Espanha só funciona e tem o impacto desejado (baixar os preços da eletricidade) em países com uma alta taxa de energias oriundas de fontes renováveis e menos dependentes do gás para produzir eletricidade.

Em 20 de outubro, Portugal, Espanha e França revelaram terem chegado a um acordo para a criação de um Corredor de Energia Verde, para transporte de energia, que prevê ligações entre Celorico da Beira e Zamora (CelZa) e entre Barcelona e Marselha (BarMAr), destinadas ao ‘hidrogénio verde’ no futuro, mas com capacidade para gás no imediato.

António Costa disse hoje que os três países continuam a trabalhar nos aspetos técnicos deste acordo e reiterou que haverá “novo encontro político” sobre o tema na cidade espanhola de Alicante, no próximo dia 09 de dezembro, para o qual está convidada a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen.

Os três países têm até 15 de dezembro para apresentar o projeto à Comissão Europeia, para poder ser financiado com fundos europeus, e Costa disse hoje que as equipas técnicas estão a trabalhar e “com certeza” será encontrada e levada a Bruxelas “uma boa solução”.

António Costa participou hoje em Madrid numa sessão sobre “a política energética europeia, o caso da Península Ibérica” do XXVI Congresso da Internacional Socialista, com o primeiro-ministro espanhol e líder do Partido Socialista de Espanha (PSOE), Pedro Sánchez.

Sánchez foi eleito na sexta-feira novo presidente da Internacional Socialista, organização que reúne partidos social-democratas, socialistas e trabalhistas de todo o mundo, agrupando atualmente mais de 130 forças políticas de todos os continentes.economia

Recomendadas

Governo confiante na execução plena do PRR, garante Mariana Vieira da Silva

A ministra da Presidência reconheceu a necessidade de agilizar processos, reforçando que essa é uma das linhas de ação do Governo no dia em que Portugal recebeu mais uma tranche de 1.800 milhões de euros do PRR vindos de Bruxelas.

Governador da Fed avisa que taxas de juro poderão continuar a subir

O governador da Reserva Federal norte-americana, Christopher Waller, disse esta quarta-feira que a inflação ainda não está contida e deu um sinal aos mercados: as taxa de juro vão continuar a subir, provavelmente acima das projeções dos analistas.

Preços do GPL engarrafado em janeiro entre 8% e 10% superiores à estimativa da ERSE

Os preços do GPL engarrafado anunciados pelos operadores em janeiro foram entre 8% e 10% superiores à estimativa da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), segundo o Relatório Mensal de Supervisão dos Preços do GPL engarrafado, hoje divulgado.
Comentários