Portugal é o único país com inflação negativa em agosto. Taxa manteve-se estável

As taxas de inflação mais elevadas verificaram-se na Roménia, com 4,1%, Hungria, com 3,2%, e Holanda e Letónia com 3,1%. 

Bundles of 10 Euro banknotes move along a conveyer belt at the Money Service Austria company’s headquarters in Vienna, Austria, November 16, 2017. REUTERS/Leonhard Foeger – RC15FAB34640

A inflação da zona euro no mês de agosto manteve-se estável em 1%, comparativamente ao mês de julho, revela o Eurostat esta quarta-feira, 18 de setembro. Na União Europeia, a inflação fixou-se em 1,4% em agosto, mantendo a mesma taxa verificada no mês anterior.

No ano passado, a taxa de inflação na zona euro situou-se em 2,1%, enquanto na União Europeia, a mesma taxa se tinha fixado em 2,2%.

Portugal volta a registar a taxa de inflação mais reduzida do conjunto europeu, com -0,1%, apresentando uma subida relativamente ao mês passado, quando se tinha fixado em -0,7%. Grécia e Espanha seguem a Portugal como os país que registaram a inflação mais baixa, com 0,1% e 0,4%, respetivamente.

Por sua vez, as taxas de inflação mais elevadas verificaram-se na Roménia, com 4,1%, Hungria, com 3,2%, e Holanda e Letónia com 3,1%.

Comparativamente com o mês anterior, a inflação anual caiu em nove países membros, mas manteve-se estável em seis e aumentou em 12.

No mês de agosto, os ‘serviços’ foram a maior contribuição para a taxa de inflação anual, com 0,60 pontos percentuais. Seguiu-lhe a ‘comida, álcool e tabaco’ com 0,40 pontos percentuais, os ‘bens industriais não energéticos’ com 0,08 pontos percentuais e a ‘energia’ situou-se no negativo, com -0,06 pontos percentuais.

Recomendadas

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,

Vieira da Silva desaconselha mudança da lei das pensões. “É mais sensato suspender”

Para o ex-ministro Vieira da Silva, seria mais sensato suspender a lei da atualização das pensões, não sendo este o momento para proceder a alterações à fórmula legal.

Médicos dão prazo de duas semanas para Ministério da Saúde marcar reunião

“Já fizemos seguir o pedido de reunião ao senhor ministro [da Saúde, Manuel Pizarro] e solicitámos que essa reunião se desenvolva com a celeridade que deve e estabelecemos um limite para nas próximas duas semanas sermos convocados para essa reunião”, adiantou Noel Carrilho.
Comentários