Portugal é sinónimo de sucesso para a Lufthansa

Os resultados da companhia aérea na Península Ibérica, e particularmente em Portugal, são “muito satisfatórios” e os encantos da capital portuguesa justificam em grande parte este sucesso. É neste registo “rendido” ao patamar que Lisboa atingiu enquanto destino de eleição dos turistas que, Carsten Hoffmann, diretor da Lufthansa para a Península Ibérica, num encontro com […]

Os resultados da companhia aérea na Península Ibérica, e particularmente em Portugal, são “muito satisfatórios” e os encantos da capital portuguesa justificam em grande parte este sucesso.

É neste registo “rendido” ao patamar que Lisboa atingiu enquanto destino de eleição dos turistas que, Carsten Hoffmann, diretor da Lufthansa para a Península Ibérica, num encontro com jornalistas, deu nota da importância que o nosso país tem para o grupo, sublinhando ainda o enorme potencial que continuam a reconhecer em Portugal. Segundo o responsável, a atratividade de Portugal tem aumentado de forma assinalável, numa tendência que não só atrai como justifica investir no país.

A esta descrição, juntam-se alguns números e metas a atingir pela companhia que comprovam o sucesso. Michael Hutzelmann, diretor geral de vendas para Portugal da Lufthansa, avançou que a taxa de ocupação média se situa perto dos 90% e que apesar de não ser possível aumentar frequências e número de assentos, Portugal será de certo reforçado assim a rentabilidade o justifique. Diante de uma procura crescente, ambos os responsáveis lembraram o já estabelecido objetivo de atingir 1 milhão de passageiros. Meta que ficou por cumprir devido aos efeitos das greves mas que o grupo acredita ser possível atingir já em 2016.

Sobre a questão das greves, Hoffmann esclareceu que as conversações vão continuar, e que importa sobretudo que os funcionários entendam que o grupo tem de avançar com a redução de custos, e cortes, para que o futuro seja assegurado. Nos últimos 5 anos a empresa manteve os seus resultados e por isso necessita voltar aos lucros.

Sob a grande pressão dos preços e a forte concorrência, a Lufthansa pretende ainda afirmar-se e consolidar-se enquanto transportadora intercontinental em Portugal, oferecendo a possibilidade aos portugueses de viajar, via Munique e Frankfurt, para destinos que se têm vindo a evidenciar: América do Norte, Ásia e África. Contudo, há muito que a ligação líder é Lisboa-Frankfurt e assim deverá continuar.

 

Por Sónia Bexiga/OJE

Recomendadas

‘Cyber Monday’ regressa e promete dominar os mercados

A tradição norte-americana tem lugar todos os anos na segunda-feira a seguir à Black Friday e 2022 não é exceção à regra.

PAN propõe incentivos para “representação equilibrada” de género nas empresas

A deputada única do PAN, Inês de Sousa Real, propõe a criação de incentivos à “representação equilibrada” de género nas administrações das sociedades comerciais de forma a “assegurar uma quota mínima” de mulheres “superior a 40%”.

Pré-acordo na Autoeuropa prevê aumento salarial de 5,2% já em dezembro

A Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa anunciou hoje um um pré-acordo com a administração da fábrica de automóveis de Palmela para um aumento extraordinário de 5,2% que anula o aumento de 2% previsto para 2023.