Portugal emite 700 milhões e paga juros mais altos

O valor colocado esteve perto do intervalo máximo do montante indicativo.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) colocou esta manhã 700 milhões de euros em Obrigações do Tesouro (BT) com maturidade a cinco anos. O valor colocado esteve perto do intervalo máximo do montante indicativo, que era de entre 500 milhões a 750 milhões de euros.

O Estado pagou um juro de 2,112%, acima da última operação comparável e a procura excedeu em 1,92 vezes a oferta, segundo dados da Bloomberg.

Para José Lagarto, gestor de activos da Orey Financial, o leilão poderá ser encarado como bem-sucedido: “Numa altura em que a tendência das taxas de juro a nível global é de subida, a colocação perto do máximo proposto a nível ligeiramente superior à anterior colocação, poderá ser encarada como bem sucedida.”

 Na última emissão com caracteristicas semelhantes, efetuada no dia 26 de outubro, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública colocou 1.000 milhões de euros em Obrigações do Tesouro com uma taxa média ponderada de 1,751%.

Antes disso, a 31 de agosto, o IGCP tinha colocado 450 milhões de euros a uma taxa de juro de 1,87%.
Os juros das obrigações portuguesas a dez anos sobem 3,7 pontos para 3,665%, enquanto a cinco anos o agravamento é de 2,9 pontos para 2,181%.

Em Espanha, a ‘yield’ associada à dívida a dez anos avança 1,4 pontos para 1,539% e, na Alemanha, desce 0,6 pontos para 0,215%.

Recomendadas

Abordagem da Fed para controlar inflação anima Wall Street no fim da sessão

A bolsa de Nova Iorque fechou a sessão desta terça-feira, 31 de janeiro, com um sentimento positivo devido à abordagem da Reserva Federal (Fed) para controlar a inflação um dia antes da decisão política do banco central norte-americano. No início da sessão, o S&P 500 cresceu 1,46%, para 4,076.26 pontos, o tecnológico Nasdaq valorizou 1,67%, […]

Bolsa de Lisboa fecha sessão no ‘verde’ com BCP a liderar ganhos

As principais bolsas europeias terminaram divididas, com o DAX (Alemanha) e o CAC 40 (França) a registarem valorizações de 0,01%, enquanto o FTSE 100 (Reino Unido) perdeu 0,16% e o IBEX 35 (Espanha) depreciou 0,15%.

Wall Street arranca sessão com todos os índices no ‘verde’

A bolsa de Nova Iorque iniciou a sessão com sinais positivos nos três principais índices, apesar da queda das ações da McDonald’s.
Comentários