Portugal entre os países europeus com menos feriados

Os países da UE com menos feriados são o Reino Unido e a Irlanda, com seis cada um, seguidos de Portugal e Alemanha, com nove.

Quatro partidos portugueses levam na sexta-feira ao plenário da Assembleia da República iniciativas legislativas para a reposição de feriados suspensos em 2012.

O PS propõe apenas a reposição imediata dos dois feriados civis, enquanto PCP, BE e PEV querem reintroduzir os quatro suspensos em 2012: Implantação da República, a 5 de outubro, a Restauração da Independência, a 1 de dezembro, e os feriados religiosos do Corpo de Deus (móvel) e Dia de Todos-os-Santos (1 de novembro).

Em 2011, os portugueses assinalavam no calendário 13 feriados, seis civis e sete religiosos.

De acordo com as páginas digitais oficiais governamentais e do turismo dos Estados-membros da UE, Chipre, Eslováquia e Suécia lideram com 15 feriados.

Seguem-se a Bulgária, Letónia e Malta com 14. Áustria, Croácia – a última adesão aos 28 – e Grécia têm 13 dias feriados nacionais.

Bélgica, República Checa, Estónia, Eslovénia, Finlândia, Itália, Lituânia e Polónia registam 12, seguidos pela Dinamarca, Hungria, Holanda e Espanha com 11.

França, Luxemburgo e Roménia registaram no corrente ano dez dias feriados.

OJE

Recomendadas

Rússia colheu 949 milhões de euros em trigo ucraniano este ano, indica a NASA

A Rússia colheu cerca de mil milhões de dólares (949 milhões de euros) em trigo ucraniano desde o início do ano, o que corresponde a aproximadamente 5,8 toneladas deste cereal, segundo dados da NASA.

Trump pede anulação das eleições de 2020 e extinção da Constituição

Esta posição do ex-presidente dos EUA já motivou uma reação da Casa Branca, com o porta-voz Andrew Bates a criticar as declarações como um “anátema sobre a alma da nação”, apelando para que Trump seja “universalmente condenado” por estas afirmações.

Proteção da biodiversidade entre esperança em acordo e risco de fracasso

A CDB das Nações Unidas foi assinada por 150 líderes mundiais em 1992 no Rio de Janeiro, na Cimeira da Terra, com o objetivo de proteger a natureza, o seu uso sustentável e a partilha justa de benefícios.