Portugal está a meio da tabela do custo mensal de ter carro. Elétricos nunca foram tão baratos na Europa

O ‘ranking’ anual LeasePlan coloca Portugal em 10º lugar na despesa mensal de propriedade de um veículo, com um valor de 651 euros para carros a gasolina, 672 euros gasóleo e 686 euros elétricos nos segmentos utilitário e pequeno utilitário.

Portugal encontra-se na 10º posição no ranking que calcula a despesa mensal de ter um veículo, com um valor de 651 euros para carros a gasolina, 672 euros gasóleo e 686 euros elétricos nos segmentos utilitário e pequeno utilitário, segundo o ranking anual da LeasePlan que inclui o preço combustível, depreciação, impostos, seguros e manutenção em 18 países europeus.

O custo de ter carro na Europa varia entre os 491 euros por mês na Hungria e os 926 euros na Suíça, de acordo com o “Car Cost Index 2020”, elaborado pelo grupo holandês de leasing e divulgado esta quinta-feira. Em Portugal, no segmento médio familiar (o mais popular) é hoje mais barato ter um elétrico do que um carro a gasóleo ou gasolina, com uma diferença de 100 euros mensais.

A análise da empresa conclui que os veículos elétricos do segmento médio familiar têm agora valores mais competitivos na maioria dos países inquiridos (ver tabela abaixo). É o caso de Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Países Baixos, Noruega, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido – além de Portugal, que também está na lista.

“A boa notícia é que os custos dos veículos elétricos estão a baixar e estamos a assistir ao desenvolvimento de um forte mercado de veículos elétricos em segunda mão para os VE de qualidade usados. A má notícia é que os governos não estão a fornecer as infraestruturas de carregamento necessárias para satisfazer a procura do mercado. Os decisores políticos nacionais e locais precisam de acelerar agora e investir numa infraestrutura de tarifação universal, acessível e sustentável para permitir que todos façam a mudança para veículos elétricos”, afirma Tex Gunning, CEO da LeasePlan.

O ranking calcula os custos em média durante os primeiros quatro anos de propriedade e pressupõem 30 mil km de condução por ano. Para efeitos do índice, o “custo competitivo” é definido como: veículos elétricos que não chegam a ser 5% mais caros do que os seus equivalentes com motor de combustão interna.

Países Gasolina Diesel Elétrico
Grécia 547 euros 534 euros 594 euros
Hungria 537 euros 338 euros 642 euros
Suécia 642 euros 655 euros 646 euros
França 598 euros 633 euros 654 euros
Portugal 651 euros 672 euros 686 euros
Irlanda 640 euros 613 euros 695 euros
Áustria 645 euros 672 euros 718 euros
Países Baixos 711 euros 806 euros 721 euros
Espanha 603 euros 609 euros 730 euros
Alemanha 704 euros 720 euros 730 euros
Itália 807 euros 663 euros 742 euros
Reino Unido 727 euros 731 euros 744 euros
Noruega 851 euros 913 euros 750 euros
Bélgica 686 euros 709 euros 797 euros
Dinamarca 765 euros 716 euros 797 euros
República Checa 541 euros 570 euros 793 euros
Finlândia 767 euros 794 euros 944 euros
Suíça 960 euros 925 euros 949 euros

Fonte: Car Cost Index 2020

Recomendadas

Sector do retalho alimentar tem 15 dias para baixar preços de bens essenciais

A lista de bens essenciais aos quais será aplicado o IVA zero, medida anunciada na semana passada por Fernando Medina no âmbito de um conjunto de novos apoios para ajudar a mitigar o aumento do custo de vida, foi dada a conhecer esta segunda-feira e abrange 44 artigos, cujos preços deverão baixar a partir de abril.

Presidente promulga apoios às famílias mais vulneráveis

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou hoje o diploma que estabelece medidas excecionais de apoio às famílias mais vulneráveis para mitigar os efeitos da inflação, segundo uma nota publicada no ‘site’ da Presidência.

IVA zero do cabaz de produtos e apoios à produção custam 600 milhões de euros

O valor foi avançado hoje pelo primeiro-ministro, António Costa, em Lisboa, na cerimónia de assinatura do pacto para a estabilização e redução de preços dos bens alimentares entre o Governo, a Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição (APED) e a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).
Comentários