Portugal está no Top 6 dos países com pior poder de compra da zona euro

Os dados divulgados esta quinta-feira pelo Eurostat mostram que o poder de compra de Portugal, quando comparado com a média dos outros países de moeda única, é um dos mais baixos, estando entre o do Chipre (abaixo) e o da Eslováquia (acima). Ainda assim, em 2016 subiu para 77,3% em relação à media da União Europeia.

Os dados divulgados esta quinta-feira de manhã pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que o poder de compra de Portugal, quando comparado com a média dos outros países de moeda única, é um dos mais baixos, estando entre o do Chipre (abaixo) e o da Eslováquia (acima).

Ainda assim, em 2016 subiu para 77,3% em relação à media da União Europeia, segundo os mais recentes dados do INE. No ano passado, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita expresso em Paridades de Poder de Compra (PPC), a fórmula que calcula o poder de compra entre vários países, situou-se em 77,3% da média da União Europeia, o que corresponde a um valor ligeiramente superior ao observado em 2015 (76,8%).

“Entre os 19 estados membros que integram a zona euro, Portugal ocupava em 2016 a 14ª posição, abaixo do Chipre (82,6) e à frente da Eslováquia, Lituânia, Estónia, Grécia e Letónia. Em termos nominais, o PIB per capita de Portugal em 2016 apresentou um crescimento positivo (3,3%), determinado pelo aumento nominal do PIB (3,0%) e pela diminuição da população (-0,3%)”, refere o relatório do organismo de estatística nacional.

Quanto à Despesa de Consumo Individual per capita, o INE considera que “o posicionamento relativo de Portugal é idêntico à indicada pelo PIB per capita no conjunto dos países considerados”, uma vez que também ocupa a 14ª posição entre os países da zona euro.

Ranking 

  • Portugal – 14º
  • Eslováquia – 15 º
  • Lituânia – 16º
  • Estónia – 17º 
  • Grécia – 18º
  • Letónia – 19º

Índices de volume per capita: PIB e Despesa Consumo Individual 2016 (UE28=100)

Fonte: Eurostat

Recomendadas

PremiumOCDE deixa quatro recados a Portugal, do PRR ao orçamento

A OCDE está menos otimista do que estava no verão quanto à evolução da economia portuguesa no próximo ano, tendo revisto em baixa a previsão de crescimento do PIB. Aproveitou também para alertar para a importância do PRR e da consolidação orçamental.

OE2022: Segurança Social regista excedente de 3.358 milhões de euros até outubro

A receita da Segurança Social aumentou em 9,1% e atingiu os 28.387,7 milhões de euros até outubro, enquanto a despesa caiu 0,5% para 25.030,1 milhões de euros, de acordo com a síntese divulgada hoje pela Direção-Geral do Orçamento (DGO).

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.
Comentários