Portugal Exportador reinventa-se com formato híbrido e aposta digital

Evento, que se realiza a 18 de novembro, adiciona formato digital à presença física, encurtada devido às normas de segurança da Covid.

O Portugal Exportador regressa na próxima quarta-feira, 18 de novembro, mas o PT Meeting Center, FIL – Feira Internacional de Lisboa, não será o seu único palco. “Evoluímos para uma solução híbrida do evento que, para além do espaço físico, terá igualmente uma forte vertente digital, permitindo que se reforcem as componentes de ‘networking’ entre as empresas participantes e visitantes e que o seu potencial de alcance seja ainda mais reforçado”, explica Ana Quartin, das Relações Internacionais da Fundação AIP e gestora do Portugal Exportador, ao Jornal Económico.

A iniciativa da Fundação AIP, desenvolvida em parceria com o Novo Banco e a AICEP Portugal Global, dirige-se essencialmente às pequenas e médias empresas que estão a dar os primeiros passos na exportação ou pretendem diversificar os mercados onde atuam. A 15.ª edição tem como media partner o Jornal Económico e realiza-se num contexto de Covid-19. No PT Meeting Center, FIL – Feira Internacional de Lisboa haverá máscara, gel e distanciamento social e não mais de 200 participantes, de forma a serem cumpridas as regras em vigor relativas à pandemia. Em circunstâncias normais, o número tem rondado 1.200 visitantes profissionais. Em compensação, através da plataforma digital lançada este ano, espera-se “atingir um universo de empresas que até à data, por algum motivo, não tiveram oportunidade de marcar presença na FIL, quer no âmbito nacional como internacional”.

Jorge Rocha de Matos e António Ramalho, respetivamente, presidentes da Fundação AIP e do Novo Banco, e João Dias, administrador da Aicep Portugal Global, presidem à sessão de abertura, na qual participa como orador convidado Frank Heemskerk, secretário geral da European Round Table for Industry (ERT) que, entre outros temas, vai falar do futuro da Europa e do seu papel no mundo (China/EUA) e do lugar que um país como Portugal poderá ter na estratégia comum de reindustrialização do continente.

“Este ano, mais do que mercados, apostamos em temas atuais”, adianta Ana Quartin ao JE. Neste campo, o dia promete ser longo, rico e informado. O workshop “Passos para a Exportação”, por exemplo, tem como propósito ajudar as empresas que pretendem começar processos de exportação e internacionalização, debatendo temas como prospeção de mercado e auto diagnóstico, aspetos legais a considerar no acto de exportar e como superar barreiras. “Exportar é uma decisão que marca o rumo de uma empresa, mas para além da decisão de exportar e da escolha do produto ou serviço certos, é fundamental saber como o fazer”, salienta a gestora do Portugal Exportador. Quem exporta e se quer aventurar para novos destinos encontra acolhimento em “Missão: exportar e diversificar”. Neste fórum serão abordados mercados tão distantes como o Senegal e Singapura, bem como partilhadas experiências por parte de empresas que neles operam.

No “Risk assessment na exportação”, os participantes ficarão a saber como se estão as empresas a preparar para enfrentar contingências futuras, como a atual segunda vaga da Covid-19, ou outra crise pandémica, greves, catástrofes naturais, interrupção de cadeias de abastecimento, alterações legislativas estruturais ou a desaceleração das economias.

Na mesa do debate estarão igualmente temas como “Logística: setor em mudança”, “Comércio internacional. Saiba o que está a mudar” e “Online. Mercados e sectores com maior potencial”. A mesa redonda “Turismo: motor das exportações?”, setor que alavanca as exportações nacionais, ajudará a perceber como grupos de hotéis nacionais se tornaram em verdadeiros embaixadores dos produtos portugueses no exterior.

“Em todos os workshops e mesas redondas contaremos com oradores de renome, profissionais experientes que irão partilhar a sua experiência com as empresas visitantes”, salienta Ana Quartin.

A iniciativa é também um palco de dinamização de cafés temáticos, B2B com Business Angels, Venture capitalists, bem como o programa de Webbyers. Ou seja, além dos debates, o Portugal Exportador também promove a partilha de informação e a concretização efetiva de negócios.

Recomendadas

Inovação e aposta no digital para competir no mercado estrangeiro

Especialistas defendem que os processos empresariais devem ser cada vez mais incorporados com meios tecnológicos, ao mesmo tempo que destacam a importância de conseguir atrair e reter talento. Por Rodolfo Alexandre Reis

Pandemia custou ao Estado português 3.302,7 milhões de euros até outubro

No período homólogo, a pandemia de covid-19 tinha custado 6.247,9 milhões de euros ao Estado, segundo foi então divulgado pela Direção-Geral do Orçamento.

OE2023: Ministro Pedro Nuno Santos traça linha de demarcação entre socialistas e direita

O ministro das Infraestruturas e da Habitação traçou hoje uma linha de demarcação entre socialistas e direita em torno das opções políticas, acentuando uma ideia de “liberdade igual para todos” em contraponto à “desregulação e competição”.
Comentários