Portugal na moda. Yields prime historicamente baixas

O volume de investimento imobiliário recorde está a pressionar as yields em zonas prime, para valores abaixo dos mínimos históricos, diz a consultora CBRE no novo estudo de “Rendas & Yields”, a que o OJE teve acesso. Durante o terceiro trimestre de 2015 o mercado português de imobiliário comercial manteve a tendência de descida das […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O volume de investimento imobiliário recorde está a pressionar as yields em zonas prime, para valores abaixo dos mínimos históricos, diz a consultora CBRE no novo estudo de “Rendas & Yields”, a que o OJE teve acesso.

Durante o terceiro trimestre de 2015 o mercado português de imobiliário comercial manteve a tendência de descida das “yield prime” em todos os sectores, como resultado de um desempenho muito positivo do mercado de investimento. Neste mesmo período, as rendas prime mantiveram-se estáveis, com a exceção dos centros comerciais em Lisboa e dos escritórios do Parque das Nações, que evidenciam uma subida relativamente ao trimestre homólogo, segundo o mais recente Relatório de Rendas & Yields da consultora imobiliária global CBRE.

Volume de investimento em Portugal

Diz Cristina Arouca, diretora de Research e Consultoria da CBRE Portugal, que “o mercado de investimento está a vivenciar um período excecional. O investimento registado até o final do terceiro trimestre de 2015 já ultrapassou 1,4 milhões de euros, um valor idêntico ao recorde observado na totalidade do ano de 2007. Tendo em conta os negócios que estão atualmente em curso prevemos que esta forte atividade no sector se mantenha no último trimestre do ano, com uma estimativa de fecho de 2015 acima dos 2 mil milhões de euros, tornando-se 2015 num ano histórico para o sector”.

Neste trimestre manteve-se uma forte pressão sobre as yields prime, as quais estão atualmente muito próximas dos mínimos observados no período pré-crise e até abaixo, como é o caso do comércio de rua (5,00%) e dos escritórios no CBD1 em Lisboa (5,50%).

Prime Yields Q3 2015

Relativamente ao mercado de ocupação, apesar de um aumento no nível de ocupação, não se registam ainda alterações significativas nas rendas prime, com exceção para a subida verificada no trimestre em análise no comércio de rua de Lisboa e Porto e nos escritórios no Parque das Nações, onde a oferta de imóveis disponíveis para ocupação é reduzida.

OJE

Recomendadas

“Falar Direito”. Renegociação de créditos? Eficácia vai depender do universo que temos pela frente”

Qual será o grau de eficácia do diploma que visa, essencialmente, regular o procedimento de renegociação entre as instituições de crédito e os respetivos clientes? Saiba a resposta do advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, no programa da plataforma multimédia JE TV.

Greve na TAP. Como saber se há lugar a compensações para os passageiros afetados?

Os passageiros podem ter direito a voo de substituição, assim como alimentação, bebida e internet providenciadas pela própria companhia para as eventuais horas de espera adicionais, de acordo com a AirHelp.

Galp Solar e PcComponentes assinam acordo para instalar painéis fotovoltaicos para famílias e empresas

Uma casa com gasto médio de 100 euros mensais de energia pode poupar até 500 euros anuais na fatura da eletricidade, diz a Galp Solar.