Portugal quer manter acesso a águas da Noruega num futuro acordo UE/Reino Unido

A questão do acesso dos navios de pesca da União Europeia (UE) a águas britânicas terá que ser negociada depois de terminar o período de transição pós-‘Brexit’. Negociação “não será nada fácil”, adianta fonte à Lusa.

Portugal tem interesse em manter, quando se negociar um acordo de pescas pós-‘Brexit’ com Londres, a situação que permite à Noruega pescar em águas britânicas em troca de acesso às suas, disse à Lusa fonte oficial.

“Até agora, o nosso principal interesse na pesca em águas do Reino Unido tem a ver – e esperemos que não haja alterações em 2019 e 2020 – com o facto de a Noruega poder aí pescar, nomeadamente, sarda e verdinho, em troca de possibilidades de pesca de bacalhau em águas da Noruega”, sendo que Portugal é um dos Estados-membros que captura bacalhau em águas territoriais norueguesas, segundo fonte oficial do Ministério do Mar.

No entanto, a mesma fonte admite que “não será mesmo nada fácil” a negociação.

Diretamente, Portugal não tem qualquer quota de pesca em águas do Reino Unido.

A questão do acesso dos navios de pesca da União Europeia (UE) a águas britânicas terá que ser negociada depois de terminar o período de transição pós-‘Brexit’.

Os líderes dos 27 validaram no domingo, numa cimeira extraordinária em Bruxelas, o acordo de saída do Reino Unido da UE e a declaração política da relação futura entre as partes.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, notificou por escrito hoje o parlamento britânico de que o Governo alcançou um acordo para a saída da UE, agendada para 29 de março de 2019, onde o documento deverá ser votado nas próximas semanas.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Corte das novas pensões antecipadas recua para 13,83% em 2023

As pensões antecipadas que vierem a ser iniciadas no próximo ano vão sofrer cortes menores do que este ano. Redução da esperança média de vida aos 65 anos causada pela pandemia explica esta evolução.

Sentimento económico na UE e zona euro aumentou pela primeira vez desde fevereiro

Por sua vez, o indicador de expectativas de emprego (EEI) aumentou (+1,4 pontos para 106,3 na UE e +2,0 pontos para 107,4 na área do euro) em novembro.
Comentários