Portugal recebe 37 refugiados provenientes dos campos da Grécia

As crianças e jovens não acompanhados são naturais do Afeganistão, Argélia, Egito, Paquistão, Somália e Síria e serão acolhidas em Castelo Branco, Coimbra, Leiria e Lisboa.

O Ministério da Administração Interna anunciou, esta sexta-feira, que o país recebeu 37 refugiados na sua maioria crianças e jovens não acompanhados que estavam na Grécia.

“Portugal recebeu esta semana 33 crianças e jovens estrangeiros não acompanhados, provenientes dos campos de refugiados da Grécia, ao abrigo do Programa de Recolocação Voluntária, e quatro pessoas refugiadas acolhidas ao abrigo do Programa Nacional de Reinstalação do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR)”, diz o ministério em comunicado.

As crianças e jovens não acompanhados são “naturais do Afeganistão, Argélia, Egito, Paquistão, Somália e Síria e serão acolhidas em Castelo Branco, Coimbra, Leiria e Lisboa”. Por sua vez, as “quatro pessoas refugiadas são de nacionalidade síria, oriundas do Egito, e serão acolhidas na zona Norte do país”.

Ao todo, no âmbito do Programa de Reinstalação, Portugal “já recebeu 927 pessoas vindas do Egito e da Turquia com diferentes nacionalidades (da Síria, Iraque, Etiópia, Sudão, Sudão do Sul, Eritreia e Somália)”.

Assim, o Governo português respondeu “ao apelo do governo grego e da Comissão Europeia” que em março de 2020 pediu “a recolocação dos cerca de 500 crianças e jovens que se encontravam na Grécia”.

No comunicado o Ministério sublinha ainda que entre dezembro de 2015 e abril de 2018 “Portugal foi o sexto país europeu que mais refugiados acolheu ao abrigo do Programa de Recolocação da UE, recebendo 1.550 refugiados vindos da Grécia (1.190) e Itália (360)”. Os refugiados “foram acolhidos por 97 município”.

Relacionadas

Portugal acolhe mais 273 refugiados do Afeganistão

Neste grupo encontram-se membros do Instituto Nacional de Música do Afeganistão. Número de refugiados afegãos em Portugal sobe para 764.

Governo autoriza pagamento de 6,4 milhões de euros para acolher refugiados afegãos (com áudio)

O Governo diz que tomou esta decisão porque o Fundo para o Asilo, Migração e Integração (FAMI) “não permite, nesta fase, encontrar financiamento disponível para o grupo-alvo em questão”.
Recomendadas

JMJ Lisboa será um “mega fenómeno”, diz secretário-geral da Segurança Interna

O secretário-geral do SSI sublinhou que “ainda é cedo para uma estimativa” sobre o número de pessoas que vão estar presentes no país, mas “a experiência aponta para ser um mega fenómeno e mega evento com uma grande circulação de pessoas”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Natal. 87% dos portugueses vão decorar as casas e só 27% querem reduzir na eletricidade

São 54% os portugueses que não pensam gastar dinheiro em novas decorações (19% prevê gastar até 25 euros e 16% prevê gastar entre 25 e 50 euros), de acordo com os dados revelados por um estudo da Klarna.
Comentários