Portugal regista taxa de excesso de mortalidade mais elevada da UE em junho

Em junho, o excesso de mortalidade na UE diminuiu para +6%, face aos 7% registados em maio e +11% em abril, tendo o pico principal anterior sido registado em novembro do ano passado (+27%).

Portugal registou a taxa de excesso de mortalidade mais elevada na União Europeia em junho, mais do triplo da média comunitária (6%), com 24%, de acordo com o Eurostat, que se baseou numa recolha semanal de dados.

Num boletim publicado esta manhã pelo gabinete de estatística, é referido que, em junho, o excesso de mortalidade na UE diminuiu para +6%, face aos 7% registados em maio e +11% em abril, tendo o pico principal anterior sido registado em novembro do ano passado (+27%), durante a quarta vaga de excesso de mortalidade.

A seguir a Portugal surgem Espanha (+17%) e Estónia (+16%); por outro lado, quatro outros Estados-Membros registaram valores inferiores às médias mensais para 2016-2019: Hungria (-0,3%), Itália (-1%), Eslováquia (-2%), e Bulgária (-8%).

A UE registou grandes picos de mortalidade em excesso em abril de 2020 (+25%), novembro de 2020 (+40%), abril de 2021 (+21%) e novembro de 2021 (+27%).

O excesso de mortalidade refere-se ao número de mortes por todas as causas medidas durante uma crise, acima do que poderia ser observado em condições “normais”.

 

Recomendadas

Comunidades pedem a António Costa que resolva “discriminação” de pensionistas

O Conselho Regional das Comunidades Portuguesas na Europa (CRCPE) endereçou hoje uma carta ao primeiro-ministro de Portugal a solicitar a atualização das pensões e reformas para evitar perdas do valor futuro das pensões e reformas dos portugueses no estrangeiro.

JMJLisboa2023. Portugal terá retorno económico de cerca de 350 milhões de euros

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que se realiza no próximo mês de agosto em Lisboa, vai ter um retorno económico para Portugal de cerca de 350 milhões de euros, revelou hoje o coordenador do evento nomeado pelo Governo.

Câmara de Grândola aprova nova descida do IMI e alargamento do IMI familiar

A Câmara Municipal de Grândola aprovou, na passada quinta-feira, as propostas de redução do IMI de 0,34% para 0,33%, e de alargamento do IMI familiar para famílias com um dependente. Reduções que são para vigorarem em 2023.
Comentários