Casos de Covid-19 continuam a descer na primeira semana de setembro

Apesar do decréscimo, o país registou mais de 17 mil infeções entre os dias 30 de agosto e 5 de setembro.

Paulo Cunha/Lusa

Portugal teve menos casos de Covid-19 na primeira semana de setembro em relação a meados de agosto. O país registou 17.044 infeções pelo vírus SARS-CoV-2 entre os dias 30 de agosto e 5 de setembro, o que significou uma descida de 1.158 casos em relação à semana anterior, segundo os dados revelados esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

A incidência da doença que em 2020 parou as economias mundiais caiu 6% em Portugal, para 166 casos por 100 mil habitantes, de acordo com o boletim semanal enviado pela DGS.

A região do Norte foi a que registou mais casos na semana em análise: 5.614. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo com 4.942, o Centro com 3.686, o Algarve com 903 e o Alentejo com 574. Na Região Autónoma dos Açores contabilizaram-se 709 novas infeções, enquanto na Região Autónoma da Madeira verificaram-se 616 casos.

Quando comparado com a semana anterior, todas as regiões de Portugal continental registaram uma queda no número de casos: Lisboa e Vale do Tejo verificou menos 312 casos, o Norte menos 316, o Centro registou menos 293 contágios, o Alentejo menos 48, e o Algarve menos 65 casos. O arquipélago dos Açores também teve menos casos (-190), mas o da Madeira registou mais 66, destoando do resto do panorama nacional.

Num outro documento, o das linhas vermelhas do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), as autoridades de saúde revelam que a linhagem BA.5 da variante Ómicron do vírus continua a ser “claramente” dominante em Portugal, apresentando uma frequência relativa estimada de 91% na semana 34, de 22 de agosto a 28 de agosto.

Em relação às hospitalizações por Covid-19, verificou-se também uma diminuição generalizada quer nos internamentos em enfermaria quer em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). No período em análise, registaram-se menos 39 doentes internados para um total de 431, enquanto internadas em UCI estão agora 33 pessoas, menos três do que na semana anterior.

Tal como tem vindo a acontecer, houve uma ligeira subida no número de mortes por Covid-19. Entre 30 de agosto e 5 de setembro morreram 47 pessoas, mais duas do que na outra semana. A DGS informa no boletim que o risco de mortalidade aumentou 4% para cinco por um milhão de habitantes.

Contudo, o INSA explica, no seu relatório que, “no que respeita à mortalidade específica por Covid-19 (8,9 óbitos em 14 dias por 1 000 000 habitantes) admite-se uma tendência crescente”, mas “a mortalidade por todas as causas encontra-se dentro do esperado para a época do ano, o que indica o término do período de excesso de mortalidade que decorreu”.

O relatório semanal contempla também os dados da vacinação contra a Covid-19: 100% das pessoas com mais de 50 anos já têm a vacinação completa e nas restantes faixas etárias a percentagem é superior a 97%, excetuando nas crianças com idades entre os 5 e os 11 anos, cujo percentagem se manteve nos 44%.

Quanto à dose de reforço, já foi administrada em 97% das pessoas com 80 ou mais, em 99% das pessoas entre os 65 e 79 anos, em 88% das pessoas entre os 50 e 64 anos, em 67% das pessoas entre os 25 e os 49 anos e em 54% em pessoas com idades entre os 18 e os 24 anos.

Recomendadas

Conferência do Jornal Económico debate os grandes temas de 2023

O auditório principal do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) recebeu na passada sexta-feira, 16 de setembro, a conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.

Primeiro-ministro espanhol testou positivo à Covid-19

Sánchez não disse se estava a sentir-se doente ou se iria cancelar outros compromissos na próxima semana.

Portugal registou 18.315 mil casos e 37 mortes de Covid-19 na última semana

A Direção-Geral da Saúde contabilizou mais 2.049 infeções em comparação à semana anterior.
Comentários