Portugal é “um oásis de estabilidade”, diz jornal americano

A conceituada publicação norte-americana ‘Politico’ sublinha a posição “confortável” do Governo de António Costa, apesar de “a fragilidade financeira” continuar a ser um problema para o país.

Rafael Marchante/Reuters

O primeiro aniversário da “Geringonça” não passou despercebido além-fronteiras. À margem das comemorações, o jornal online ‘Politico’ lançou um artigo onde classifica Portugal como “um oásis de estabilidade”, apesar de a “fragilidade financeira” continuar a ser um dos grandes problemas do país.

A publicação destaca a “cadeira confortável” em que António Costa se senta, enquanto “tantos líderes europeus da mesma orientação política enfrentam ameaças existenciais”.

A ‘Politico’ começa por realçar os resultados das sondagens recentes que dão a Costa uma taxa de aprovação na ordem dos 80%. “Nada mau, considerando líderes da mesma orientação política como o primeiro-ministro italiano Metteo Renzi, que ficou nos 30%, e o presidente francês François Hollande, que se fica pelos 4%”, escreve o jornal.

Dada a “aversão às políticas de extrema-direita” que foi crescendo desde os tempos de António Oliveira Salazar, “cujo rígido regime durou mais de quatro décadas até à revolução de 1974”, se as eleições fossem hoje o PS conquistaria 43% dos votos junto do eleitorado, o que permite a António Costa uma margem confortável, aponta a ‘Politico’.

Também “a comunidade imigrante portuguesa, composta maioritariamente por brasileiros, africanos e países do leste como a Ucrânia ou a Roménia” parece não dar grandes problemas a Costa, ao contrário de muitos países da União Europeia. “Está bem integrada”, escrevem os editores do jornal.

O periódico norte-americano acrescenta que o primeiro aniversário do atual Governo apenas passou despercebido “graças à demissão do gestor do banco público”, referindo-se à polémica em torno das declarações de rendimento e património dos gestores da Caixa Geral de Depósitos, que acabaram por motivar a saída de António Domingues.

Recomendadas

Itália. Governo Meloni deverá misturar técnicos e fiéis da líder

O próximo Governo de Itália, chefiado por Giorgia Meloni, deverá combinar figuras de renome técnico, em pastas cruciais para as relações com Bruxelas, e fiéis da futura primeira-ministra, segundo analistas ouvidos pela Lusa.

Incompatibilidades de ministros devem cessar logo que há perceção, avisa Marcelo

O Presidente da República considerou hoje, questionado sobre o caso do ministro da Saúde, Manuel Pizarro, que as incompatibilidades com o exercício de cargos governativos devem cessar logo que há a perceção da sua existência.

OE2023: PAN critica “rumo de desvalorização salarial” da função pública

A porta-voz do PAN criticou hoje a proposta de aumentos salariais para a função pública, apontando um “rumo de desvalorização salarial” e alertando que os funcionários públicos “viverão com menos recursos” no próximo ano.
Comentários