PremiumPortugal vai sair da cauda da Europa no investimento público?

O Governo projeta um crescimento do investimento público de 18,1% em 2020 face ao ano anterior, para 4.922 milhões de euros

O Governo projeta um crescimento do investimento público de 18,1% em 2020 face ao ano anterior, para 4.922 milhões de euros. A meta inscrita na proposta do Orçamento do Estado para 2020 parte da alocação de 4.168 milhões de euros a esta rubrica em 2019, o que representa uma subida de 754 milhões de euros, caso seja executado.

No relatório, o Governo explica que a contribuir para esta evolução estarão sobretudo, a “realização de investimentos estruturantes, designadamente na ferrovia, na expansão dos metros, na aquisição de material circulante, na rodovia, na construção de novos hospitais e do Programa Nacional de Regadios 4.168 milhões de euros”.

No OE2020, o Executivo português afirma que se estima que “Portugal apresente, em 2020, o maior crescimento do investimento público de entre todos os países da Zona Euro”. No entanto, se a análise se centrar no peso do investimento público em percentagem do PIB, Portugal continua no fim da tabela europeia.

No proposta orçamental, o investimento público atinge 2,3% do PIB em 2020, mais três décimas do que o estimado para 2019, o que ainda assim se revela insuficiente para alcançar a média da União Europeia. Segundo dados da base de dados da Comissão Europeia Ameco, a Noruega (5,47%), a Hungria (5,45%) e a Estónia (5,24%) deverão liderar o ‘top três’ dos países com maior investimento público. No pólo oposto, o ranking é ocupado pelo Chipre (2,11%) e Espanha (2,12%). Portugal poderá ficar lado a lado com Itália (2,3%) e Irlanda (2,38%), todos aquém da média da zona euro de 2,84% e da média alargada da União Europeia de 3,03%.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Dívida pública federal dos EUA supera 31 biliões de dólares

Aproximando-se do limite legal de 31,4 biliões – um limite artificial colocado pelo Congresso à capacidade de endividamento do governo federal -, a dimensão da dívida confronta uma economia que enfrenta uma inflação elevada, taxas de juro em crescendo e um dólar forte. 

Moldova mantém neutralidade mas irá fortalecer a cooperação com a NATO

A Moldova manterá a neutralidade, mas aprofundará a sua cooperação com a NATO para garantir a sua capacidade defensiva, declarou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros da Moldova, Nicu Popescu.

Espanha e Alemanha reúnem-se em cimeira pela primeira vez desde 2013

Espanha e Alemanha celebram na quarta-feira a primeira cimeira bilateral em nove anos, que coincide com um momento de sintonia entre os dois executivos em projetos como o do gasoduto para ligar a Península Ibérica à Europa central.
Comentários