Portugueses comem 70 mil toneladas de bacalhau por ano e cinco das quais só no Natal

Diretor do Conselho Norueguês dos Produtos do Mar para Portugal garante que o bacalhau não vai faltar na época do Natal, apesar dos constrangimentos logísticos.

Os portugueses comem 70 mil toneladas de bacalhau por ano, até cinco das quais só no Natal, época na qual não vai faltar este tipo de pescado, apesar dos constrangimentos logísticos, garantiu o diretor do Conselho Norueguês dos Produtos do Mar (NSC) para Portugal.

“O bacalhau tem um estatuto único na gastronomia portuguesa e, por isso, a sua evolução no mercado tem sido estável. Os portugueses consomem cerca de 70.000 toneladas de bacalhau por ano, o que representa sete quilogramas (kg) ‘per capita’. Este peso em bacalhau salgado seco corresponde a 20 kg de bacalhau fresco”, indicou o diretor do NSC para Portugal, Johnny Thomassen, em resposta à agência Lusa.

Só na consoada, estima-se que sejam consumidas entre quatro e cinco mil toneladas de bacalhau da Noruega.

Ainda no que se refere à origem, 70% de todo o bacalhau comido em Portugal é da Noruega e, segundo o NSC, apesar da pandemia de covid-19, “os portugueses não vão abdicar do seu fiel amigo no Natal”.

Johnny Thomassen contrariou o que classificou como “notícias alarmistas”, garantindo que não vai faltar bacalhau no Natal, apesar de ressalvar que existem alguns constrangimentos.

“Eventualmente, alguns produtores ou retalhistas mais pequenos podem ficar sem ‘stocks’ ou não terem todos os calibres disponíveis. Contudo, esta situação será a exceção e não há qualquer risco de faltar bacalhau”, vincou, sublinhando alguns constrangimentos logísticos de transporte que não permitem que o bacalhau chegue a Portugal como habitualmente.

Porém, os empresários estão a encontrar outras soluções para contornar a questão do transporte, referiu, dando como exemplo uma empresa, em Aveiro, que “fretou um navio para trazer carregamentos de bacalhau da Noruega”.

No que concerne à covid-19, o diretor do NSC para Portugal disse também que o consumo se manteve estável face aos anos anteriores, apesar da pandemia ter provocado algumas mudanças nos padrões de consumo.

“A pandemia ‘obrigou’ os portugueses a reaprender a cozinhar e, em alguns casos, permitiu às famílias terem um maior número de refeições em conjunto e mais tempo para dedicarem à questão da alimentação. Portanto, ao longo destes meses tem-se verificado um aumento do consumo de bacalhau em contexto doméstico e uma diminuição nas refeições fora de casa”, acrescentou.

O preço, por seu turno, subiu ligeiramente na origem e em loja, mas não é espectável que aumente substancialmente.

“Os retalhistas sabem que o bacalhau é muito importante para atrair os clientes para a loja e, nesse sentido, apostam bastante em promoções nesta categoria. Por exemplo, em média, 67% das vendas de bacalhau são feitas em promoção”, disse.

Porém, Thomassen avisou que, no início do próximo ano, é “possível que se verifique uma subida dos preços” e que podem faltar alguns calibres nas lojas mais pequenas, situação que deverá estar normalizada até à Páscoa.

O NSC é uma empresa pública subordinada ao Ministério da Pesca e Assuntos Costeiros da Noruega, financiada pela indústria através de taxas sobre todas as exportações dos produtos do mar daquele país.

Para promover o consumo dos produtos do mar da Noruega, o NSC está presente em vários países, incluindo Portugal.

Relacionadas

Um menu alusivo à quadra para se festejar em grande

A poucos dias de uma das datas mais marcantes do calendário nacional, o The Lodge desenhou ao pormenor um menu de Natal onde a partilha e a tradição chegam à mesa.

Jantar de natal: como escolher o melhor bacalhau e polvo

Neste natal, é importante escolher bem o bacalhau ou o polvo que irá servir na ceia de natal. A DECO tem alguns conselhos para si.

Madeira: Secretário do Mar e das Pescas diz que orçamento para o setor é “realista, coeso e transparente”

Teófilo Cunha destacou as verbas do programa europeu FEAMPA (Fundo europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquicultura) que irão ser utilizadas na região, nomeadamente com dez milhões de euros para o entreposto frigorífico do Funchal.

‘Fuga à lota’ pode atingir 5,75 milhões de euros anuais. Algarve e grande Lisboa são as regiões mais afetadas

Os dados constam de um estudo realizado pela Nova SBE, Docapesca e Associação Natureza Portugal|WWF, cujas conclusões O Jornal Económico revela em primeira mão. Como forma de auxiliar a Docapesca na gestão das lotas, foi desenvolvida uma ferramenta capaz de prever a quantidade de pescado capturada pela arte polivalente e entregue em cada lota para venda por leilão.
Recomendadas

Taxa de emprego na UE cresceu 0,3 pontos percentuais no segundo trimestre

Portugal foi um dos poucos Estados-membros onde a taxa reduziu, neste caso 0,1 p.p., face ao primeiro trimestre, de acordo com os dados divulgados pelo Eurostat.

Portugal acompanhado por 14 países da UE a reclamar teto para preço do gás

Quinze Estados-membros, entre os quais Portugal, subscreveram a carta conjunta enviada na terça-feira à Comissão Europeia a reclamar um teto para o preço do gás importado, matéria que deverá ser discutida no Conselho extraordinário de Energia de sexta-feira.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quarta-feira

“Sedes quer que escolas escolham professores a partir de uma lista”; “Governo sobe para 10.500 euros por ano fasquia para não pagar IRS em 2024”; “Salários do Estado perdem peso no PIB”.
Comentários