Portugueses da Luggit vão guardar bagagens de turistas em Barcelona e Praga

A startup dos ‘keepers’ de malas de viagem tem como objetivo expandir o negócio mais oito cidades europeias nos próximos dois anos, em resposta à recuperação do sector hoteleiro e turístico no geral. “As nossas previsões é que superaremos um crescimento de quatro vezes em relação ao ano anterior”, estima o CEO.

Luggit

Já são cinco as cidades europeias nas quais a startup portuguesa Luggit – que permite aos turistas requisitar um “motorista” e um cofre para guardar as suas bagagens e localizá-las em tempo real – está presente. A empresa, que está em Lisboa e no Porto desde 2019, voltou a apostar na internacionalização com Barcelona (Espanha) e Praga (República Checa), depois de no final do ano passado ter investido em Viena, na Áustria.

O cofundador e CEO da Luggit defende que Praga é “atraente” por três motivos principais: “Tem dimensões semelhantes a Lisboa e Porto, o que nos permite otimizar as operações tendo em conta os conhecimentos que trazemos de Portugal, ao mesmo tempo que a proximidade geográfica com Viena é interessante em termos de futuras contratações. Praga também tem turismo o ano todo. Isso é fulcral para mantermos nossa empresa equilibrada, combatendo a sazonalidade inerente a qualquer negócio de turismo”.

Quanto à entrada na capital da Catalunha, Ricardo Figueiredo justifica com o facto de ser um reconhecimento polo de empreendedorismo e um destino turístico que “está a regressar rapidamente aos números pré-covid”. “Antes da pandemia, já recebia quase doze milhões de viajantes e 33 milhões de dormidas em hotéis e apartamentos turísticos. Muitos desses viajantes e gestores hoteleiros terão agora a vida facilitada com o nosso serviço de recolha e entrega de bagagem antes do check-in ou após o check-out”, argumenta o CEO.

A startup dos keepers de bagagens tem como objetivo expandir o negócio mais oito cidades europeias nos próximos dois anos, embora não revele onde se localizam no mapa. “As nossas previsões é que superaremos um crescimento de quatro vezes em relação ao ano anterior, o que já é visível na evolução mensal constante de 67% no que respeita a novos utilizadores na plataforma”, afirma Ricardo Figueiredo, em comunicado divulgado à comunicação social.

Na lista de empresas turísticas que usam o software da Luggit encontram-se cerca de 200 empresas de gestão de alojamento local com mais de 1.500 apartamentos, entre as quais Feels Like Home, Lovely Stay, GuestReady, Whome, Bnbird, Stay-Unique ou Time Cooler. No total, já são mais de sete centenas os clientes que querem evitar que os viajantes tenham de marcar voos com chegada mais tardia por causa das malas ou carregá-las até ao alojamento/hotel.

Recomendadas

Exclusivo: Bónus milionário da CEO da TAP não é válido

O contrato assinado entre a TAP e a gestora francesa Christine Ourmières-Widener prevê um bónus que pode chegar a três milhões de euros no prazo de cinco anos, revela o documento, a que o Jornal Económico teve acesso. No entanto, o contrato não será válido, uma vez que uma das suas cláusulas prevêem que teria de ser aprovado pela Assembleia Geral da TAP SGPS, algo que nunca chegou a acontecer.

Pampilhosa da Serra assina novo contrato para assegurar transporte de passageiros

O município da Pampilhosa da Serra, no interior do distrito de Coimbra, vai pagar mensalmente mais de 15 mil euros a uma empresa para assegurar o serviço de transporte público de passageiros nas linhas que funcionam atualmente.

Martifer com contrato de 68 milhões para fazer viadutos ferroviários em Birmingham

“O fabrico da estrutura metálica será realizado maioritariamente no pólo industrial do grupo Martifer, em Oliveira de Frades, permitindo reforçar a vertente exportadora do grupo Martifer, que atualmente representa mais de 85 % do volume de negócios do segmento de estrutura metálica em Portugal”, refere a empresa.
Comentários