Portugueses esperam sinais de confiança na Venezuela para reinvestimentos

O conselheiro das comunidades Fernando Campos considera que os portugueses de Caracas estão preocupados com a crise político-económica venezuelana, mas à espera de sinais de confiança na economia para reinvestir num país que tem “muitas possibilidades” de crescimento.

“A comunidade tem esperanças, neste momento muito reduzidas, sobre o que poderá ser 2018. As pessoas estão muito preocupadas porque não veem um crescimento económico importante, que haja medidas do ponto de vista económico e social que permitam o crescimento económico, que possam permitir um investimento com segurança”, disse Fernando Campos.

Em declarações à Agência Lusa, o empresário e conselheiro das comunidades explicou que os portugueses esperam que possa haver um “reconhecimento, de parte do Governo, de que o caminho que está a tomar a economia neste momento não é o adequado” e que sejam tomadas “outras ações que permitam esse crescimento, que possam criar confiança”.

“Se essas medidas aparecerem, se a confiança voltar à comunidade, os portugueses vão ser dos primeiros a reinvestir os seus lucros, os seus dinheiros, na economia venezuelana, porque continuam a acreditar que este país tem muitas possibilidades. A grande maioria dos portugueses acredita nisso”, frisou.

Recomendadas

Milhares de tropas russas cercadas na região anexada de Donetsk, diz Kiev

A Ucrânia reivindicou hoje ter cercado milhares de soldados russos na zona da cidade de Lyman, na região de Donetsk, anexada pela Rússia, onde retomou o controlo de cinco aldeias.

Eleições: Brasileiros entre a ansiedade e medo de violência antes do dia do voto

Brasileiros relatam ansiedade e medo de violência antes da primeira volta da eleição que poderá definir o próximo chefe de Estado do país numa disputa polarizada entre o Presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro, e o ex-presidente Lula da Silva.

PremiumGiorgia Meloni tem dois amores que em nada são iguais

Matteo Salvini com certeza estará convencido que os Irmãos de Itália lhe roubaram a vitória que lhe estava prometida desde há quatro anos e esse pode ser o pior pesadelo de Meloni.
Comentários