Portugueses lideram entre os candidatos às universidades britânicas em 2017

Portugal foi o país europeu que registou o maior aumento de novos estudantes universitários no Reino Unido este ano letivo, apesar de, na generalidade, as universidades britânicas terem recebido menos candidatos europeus, indicam números oficiais divulgados hoje.

O número de estudantes portugueses é de 1.200 no ano letivo 2017/18, mais 230 (24%) do que em 2016/17, quando foram matriculados 970 estudantes portugueses, de acordo com o capítulo sobre a origem dos alunos universitários divulgado hoje pelo Serviço de Admissão às Universidades e Colégios (UCAS na sigla inglesa).

O número de candidatos portugueses tem vindo a aumentar gradualmente nos últimos anos: 36% de 2014/15 para 2015/16 e 21% de 2015/16 para 2016/17.

Além de Portugal, registaram-se aumentos significativos em estudantes da Lituânia (mais 12%), Polónia (mais 6%) e Espanha (mais 5%).

Todavia, o número de vagas preenchidas por candidatos da maioria dos países europeus diminuiu em 2017: no total, foram aceites 30.700 candidatos domiciliados na UE (excluindo o Reino Unido), menos 650 do que em 2016, uma queda de 2%, a primeira desde 2012.

França, Itália, Espanha, Polónia e Roménia são os países europeus que mais estudantes inscreveram em setembro em universidades britânicas, enquanto Portugal ocupa o 11º. lugar nesta lista, atrás da Suíça e acima da Suécia.

Desde 2012, o número de portugueses matriculados nas universidades britânicas triplicou, enquanto o número de alunos de Espanha, Polónia e República Checa duplicou.

Recomendadas

Patrões vão ter majoração em 50% dos custos com aumentos salariais no IRC

No âmbito do acordo de rendimentos, o Governo decidiu propor aos parceiros sociais uma majoração em 50% dos custos com a valorização salarial em IRC. Patrões têm reclamado, note-se, medidas mais transversais.

Governo propõe reforço do IRS Jovem. Isenção sobe para 50% no primeiro ano

Jovens vão passar a ter um desconto fiscal maior, no início da sua carreira. IRS Jovem passará a prever uma isenção de 50%, em vez de 30%, no primeiro ano.

Governo quer atualizar os escalões do IRS em 5,1% em 2023

O Governo decidiu rever em alta o referencial dos aumentos salariais, puxando-o para o valor do aumento da massa salarial da Função Pública: 5,1%. Será esse o número que será usado para atualizar os escalões do IRS.
Comentários