Portugueses são mais poupados. Estrangeiros gastam mais do dobro para comprar casa em Lisboa

A diferença tão significativa do que os portugueses e estrangeiros estão dispostos a pagar por um imóvel na mesma cidade chamou a atenção da “Bloomberg”.

Os preços imobiliários em Portugal tornaram-se incomportáveis para muitos portugueses, especialmente na Área Metropolitana de Lisboa, onde a pressão urbanística com a criação desenfreada de Alojamentos Locais levou à saída de muitos portugueses para as periferias.

Dados divulgados na quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que os estrangeiros não são tão contidos quanto os portugueses quando se trata de comprar um imóvel para habitação em Lisboa.

Os dados do gabinete estatístico apontam que os compradores com domicílio fiscal no estrangeiro estavam dispostos a gastar 4.283 euros/m2 no último trimestre de 2021, um valor muito acima dos compradores com domicílio fiscal em Portugal, que queriam gastar um preço médio de 1.858 euros/m2. Este é um valor significativo, uma vez que se trata de uma diferença de 2.425 euros/m2.

Mas não é só na Área Metropolitana de Lisboa que os estrangeiros pensam em investimentos. Os compradores com domicílio fiscal no estrangeiro olharam para a região do Algarve com bastante interesse no último trimestre de 2021.

No Algarve, os estrangeiros mostravam-se disponível a pagar um preço médio de 2.547 euros/m2 no quarto trimestre do ano passado, enquanto os portugueses pretendiam despender apenas 1.969 euros/m2. A diferença de valores é de 578 euros/m2, um valor mais aceitável quando comparado com a diferença de Lisboa.

Curiosamente, o INE revela que a Área Metropolitana de Lisboa e o Algarve foram aquelas que apresentaram os valores mais elevados nas categorias de domicílio fiscal do comprador, a fixarem-se em 1.904 euros/m2 e 2.144 euros/m2, respetivamente.

O órgão estatístico revelou ainda que os preços das casas registaram um aumento homólogo de 14,1% no último trimestre de 2021, sendo que o preço médio se fixou nos 1.355 euros/m2.

A diferença tão significativa do que os portugueses e estrangeiros estão dispostos a pagar por um imóvel na mesma cidade chamou a atenção da “Bloomberg”. A publicação norte-americana aponta ainda que a elevada procura do exterior impulsionou os preços do sector imobiliário em 11,4% na Área Metropolitana de Lisboa no último trimestre do ano.

“A capital portuguesa tornou-se um íman para investidores imobiliários internacionais, atraídos pelas temperaturas amenas da cidade e pelos incentivos fiscais. A pandemia acelerou essa tendência, com legiões de estrangeiros em trabalho remoto a chegar a Lisboa nos últimos anos”, lê-se na publicação.

Por ser um país tão atrativo para os estrangeiros, na última década verificou-se um crescimento de 40% nas chegadas de cidadãos estrangeiros. Nos últimos dez anos, o número de estrangeiros em Portugal cresceu para 555.299.

Relacionadas

Preços das casas aumentaram para 14,1% no último trimestre de 2021

Este valor representou um crescimento de 3% em relação ao trimestre anterior, com o preço médio a fixar-se nos 1.355 euros\m2.

“Preços das casas vão continuar a aumentar”, defende CEO da Zome

Patrícia Santos acredita também que a subida da inflação vai provocar alterações na política monetária e correções de taxas de juros. Em relação à empresa, um dos objetivos traçados para este ano passa por superar os 31 milhões de euros em faturação.

Canadá proíbe investidores estrangeiros de comprarem casas no país

A medida serve para aliviar o mercado imobiliário que tem estado sobre pressão nos últimos meses.

Preços das casas em Portugal subiu 60% entre 2010 e 2021 (com áudio)

Desde que o turismo começou em Portugal, os preços das habitações dispararam consideravelmente, em parte também devido à criação de alojamentos locais, o que levou a uma pressão urbanística nas maiores cidades.

Preços médios das casas aumentaram 3,5% no primeiro trimestre do ano

Este valor representou também um crescimento no preço médio do m2 que se fixou nos 2.094 euros.

Comprar casa em Lisboa e Faro já custa mais de meio milhão euros (com áudio)

O preço médio em Portugal no período em análise é de 376.372 mil euros, um aumento de 25 mil euros em relação ao mesmo período do ano passado e de 7.600 mil euros face ao último trimestre de 2021.

Preços das casas aumentaram mais de 6% entre 2014 e 2020 em Portugal

Crescimento registou-se depois de uma descida de 4% entre 2008 e 2013.

Suspensão de novos alojamentos locais provoca descida no preço das casas

O estudo mostra que as dinâmicas do crédito à habitação, a falta de oferta, o turismo e o investimento em habitações viradas para o turismo são dos fatores que maior impacto têm na evolução dos preços, revela o “Público”.
Recomendadas

Arquitetos destacam a necessidade de reinventar Lisboa após a pandemia

Espaços ao ar livre, utilização da água e sustentabilidade são alguns dos meios que os municípios devem utilizar para transformar os principais desafios em oportunidades para as cidades.

Uma em cada três casas no centro de Lisboa não tem ocupação. “É bizarro”, diz vereadora da CML

Filipa Roseta revela que ao todo, na capital existem perto de 50 mil residências desabitadas e que podem ser uma oportunidade para o mercado com preços acessíveis.

Arquitectura em debate em Lisboa. Veja em direto a “Talk Arquitectura – Novas Oportunidades Urbanas”

A “Talk Arquitetura – Novas Oportunidades Urbanas” conta com o Jornal Económico como media partner e é uma conversa com arquitetos para debater a adaptabilidade, sustentabilidade e resiliência neste contexto. Veja em direto e acompanhe a cobertura editorial no site do Jornal Económico.
Comentários