Portugueses vão gastar 388 euros nas compras de Natal

Só nas refeições de consoada e de natal, os portugueses prevêem gastar 141 euros.

Com a aproximação da época natalícia, muitas são as pessoas que já começam a elaborar as respetivas listas de presentes para oferecer a amigos e familiares.

Os portugueses têm a intenção de gastar cerca de 388 euros durante o período do Natal, mais seis euros do que os 382 euros registados no ano anterior, segundo dados do Observador Cetelem Natal 2019.

Prevê-se que grande parte deste valor (61%) seja gasto em presentes, percentagem que teve um aumento considerável em relação a 2018 (49%). Para esta categoria de gastos, estipula-se um orçamento médio de 234 euros, que no ano anterior se cifraram nos 188 euros. No que respeita às prendas dos mais novos, os inquiridos tencionam gastar em média 115 euros, menos 10 euros do que o valor registado em 2018.

A segunda maior despesa prevê-se que serão as mercearias para preparar a mesa de Natal e a consoada, no entanto, se em 2018 representavam 47% do total do orçamento dos portugueses para esta época, pesa cerca de 36% do orçamento em 2019. Na prática, isto significa que para esta categoria os portugueses têm um valor estipulado de 141 euros, menos 40 euros que no ano passado.

As decorações de Natal são a categoria em que os portugueses menos tencionam gastar, uma vez que apenas 3% pretende adquirir decorações da época. Os valores mais elevados serão gastos pelas faixas etárias entre os 35 e os 54 anos, enquanto os valores mais baixos são os indicados entre os consumidores com 18 e 24 e entre os 55 e os 65 anos.

Sem surpresa, as regiões da grande Lisboa e do Grande Porto são onde se vão registar mais gastos “natalícios”, sendo que na região centro é onde se prevêem menos gastos.

Recomendadas

Crédito pessoal: Conheça as modalidades de reembolso 

Em regra, o pagamento da prestação é feito mensalmente, por débito numa conta e em data, previamente acordada com o banco. Qualquer alteração da data ou da conta, através da qual se processa o pagamento da prestação mensal do empréstimo, implica um acordo entre o cliente e o banco. 

Banco de Portugal alerta sobre riscos de produtos e serviços bancários digitais

A campanha chama-se “#ficaadica” e é dirigida aos “rendidos ao homebanking, às apps de pagamento e às compras online”. O supervisor alerta que a inovação traz vantagens, “mas há riscos que devemos acautelar”.

Comemora-se hoje dia da Internet +Segura. Conheça o programa DECOJovem dirigido à comunidade educativa

A DECOJovem, programa de educação do consumidor promovido pela DECO e dirigido às escolas, há muito que trabalha esta matéria, alertando toda a comunidade educativa para a necessidade de melhorar as competências digitais dos mais novos, promovendo uma utilização mais ativa e mais segura da internet. Assim, tem sido desenvolvidos vários projetos, como sejam o Sitestar.pt, a NET Viva e Segura e Brain IDeas.  
Comentários