Pesca em 2019 na União Europeia discutida terça-feira

A proposta avançada pela Comissão Europeia prevê a redução dos totais admissíveis de capturas em 22 unidades populacionais, incluindo a pescada em águas continentais e dos arquipélagos, a arinca e o lagostim.

Os ministros das Pescas da União Europeia reúnem-se na terça-feira para definir as possibilidades de pesca para 2019, com propostas de cortes nomeadamente na pescada em águas nacionais e que Portugal tentará reverter em negociações habitualmente longas.

A proposta avançada a 7  de novembro pela Comissão Europeia prevê a redução dos totais admissíveis de capturas (TAC) em 22 unidades populacionais, incluindo a pescada em águas continentais e dos arquipélagos (-14%, para as 7.963 toneladas), a arinca (-14%, para as 5.937 toneladas) e o lagostim (-26%, para as 281 toneladas).

Para o tamboril, uma espécie comercialmente importante, Bruxelas propôs uma subida de apenas 2% (para as 4.023 toneladas) nas capturas em águas nacionais e a manutenção dos TAC das raias (4.326 toneladas), em 2019.

As negociações da União Europeia (UE) com a Noruega para as capturas de bacalhau – e respetivas contrapartidas – serão também negociadas na reunião do Conselho marcada para terça e quarta-feira.

A proposta de Bruxelas tem ainda em consideração que em 01 de janeiro entra em vigor a obrigação de desembarque – ou seja, deixa de ser permitida a devolução ao mar de peixe capturado acessoriamente que passa a ser imputado às quotas de cada Estado-membro.

A Comissão Europeia justifica a sua proposta com a necessidade de assegurar que se vai atingir, em 2020, uma gestão de todas as unidades populacionais (‘stocks’) ao nível do Rendimento Máximo Sustentável (MSY, na sigla inglesa).

Segundo dados da Comissão Europeia, são atualmente 53 os ‘stocks’ pescados ao nível do MSY, face aos cinco em 2009 e 44 no ano passado.

A Comissão destacou ainda a colaboração com os Estados-membros para ajudar os pescadores a alcançar o objetivo de explorar todas as unidades populacionais a níveis sustentáveis até 2020

Relacionadas

Espaço marítimo português vai ter plano de ordenamento atualizado

Esta nova versão do plano resultado de um acordo difícil entre o Ministério do Mar, APA – Agência Portuguesa do Ambiente e ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e Florestas.

Governo anuncia pagamento de 97 milhões de euros aos agricultores

De acordo com esse comunicado, deste montante, através do Fundo Europeu de Garantia Agrícola, foram pagos aos agricultores 32,6 milhões de euros, no âmbito do novo regime da vinha.

Portugal quer manter acesso a águas da Noruega num futuro acordo UE/Reino Unido

A questão do acesso dos navios de pesca da União Europeia (UE) a águas britânicas terá que ser negociada depois de terminar o período de transição pós-‘Brexit’. Negociação “não será nada fácil”, adianta fonte à Lusa.
Recomendadas

Dormidas de brasileiros em Portugal disparam 748% até julho

O número de dormidas de brasileiros em Portugal disparou 748% entre janeiro e julho deste ano, para 1,2 milhões, refletindo uma forte recuperação depois de dois anos de pandemia, segundo dados da AICEP, cedidos à Lusa

Crise/Inflação: Casais podem receber 125 euros pelo IBAN do reembolso do IRS

O apoio de 125 euros é individual, mas os casais que entreguem o IRS em conjunto e só tenham o IBAN do reembolso deste imposto confirmado nas Finanças recebem o apoio nessa conta bancária, esclareceu hoje fonte oficial.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.
Comentários