Poupança das famílias volta a subir. Taxa fixa-se nos 6,2% no terceiro trimestre

A taxa de poupança das famílias aumentou para 6,2% do rendimento disponível, refletindo-se no crescimento de 0,9% do rendimento disponível, sendo superior em 0,2 pontos percentuais ao aumento do consumo final.

A capacidade de financiamento das famílias portuguesas aumentou para 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB), no terceiro trimestre de 2019, informou o Instituto Nacional de Estatística (INE) esta segunda-feira, 23 de dezembro. Este aumento, ainda que ligeiro, representa mais 0,1 pontos percentuais do que no trimestre anterior.

Desta forma, a taxa de poupança das famílias aumentou para 6,2% do rendimento disponível, refletindo-se no crescimento de 0,9% do rendimento disponível, sendo superior em 0,2 pontos percentuais ao aumento do consumo final. No trimestre anterior, a taxa de poupança situou-se em 5,9%.

A evolução do rendimento disponível das famílias foi determinada pelo crescimento de 1,1% das remunerações recebidas, sendo explicado pelos 0,7 pontos percentuais de aumento do rendimento. Por sua vez, o investimento de formação bruta de capital fixo das famílias registou uma taxa de variação de 1,8% no terceiro trimestre de 2019, tendo-se fixado em 1,7% no segundo trimestre do ano.

O rendimento disponível bruto das famílias fixou-se em 16 mil euros no terceiro trimestre de 2019, correspondendo a um crescimento de 1% face ao trimestre anterior.

Recomendadas

Portugal e Espanha terão de continuar a ter “exceção ibérica” no preço do gás

O primeiro-ministro disse que tem de continuar a haver uma “exceção ibérica” para os preços do gás mesmo que seja criado um novo mecanismo europeu, porque Portugal e Espanha continuam a ser “uma ilha” energética.

Costa contraria ideia de empobrecimento e afirma que Portugal está a crescer mais do que Alemanha, França e Espanha

Dados de Costa surgem dias depois das previsões de Outono da Comissão Europeia, cujas mais recentes previsões indicam que em 2024 a Roménia ultrapassará Portugal no ranking de desenvolvimento económico da UE.

PremiumOCDE deixa quatro recados a Portugal, do PRR ao orçamento

A OCDE está menos otimista do que estava no verão quanto à evolução da economia portuguesa no próximo ano, tendo revisto em baixa a previsão de crescimento do PIB. Aproveitou também para alertar para a importância do PRR e da consolidação orçamental.
Comentários