PR pela primeira vez nos Emirados Árabes Unidos numa visita com “pendor marcadamente económico”

Os Emirados Árabes Unidos recebem para a semana e pela primeira vez a visita de um Presidente português, numa viagem de Cavaco Silva com objetivos políticos e económicos a um país para onde Portugal exporta cada vez mais. Pendente desde 2008, a viagem do Presidente da República aos Emirados Árabes Unidos irá finalmente concretizar-se nos […]

Os Emirados Árabes Unidos recebem para a semana e pela primeira vez a visita de um Presidente português, numa viagem de Cavaco Silva com objetivos políticos e económicos a um país para onde Portugal exporta cada vez mais.

Pendente desde 2008, a viagem do Presidente da República aos Emirados Árabes Unidos irá finalmente concretizar-se nos dias 26 e 27 de novembro, imediatamente a seguir à realização de uma reunião da comissão mista Portugal-Emirados Árabes Unidos, que contará com a presença do vice-primeiro-ministro português, Paulo Portas, além de uma delegação de oito empresários portugueses.

A chegada do chefe de Estado português ao Dubai irá acontecer na madrugada de dia 26, com a comitiva a seguir depois diretamente para Abu Dhabi.

O primeiro ponto de agenda do programa só irá realizar-se às 12:30 de quarta-feira, um encontro do Presidente da República com o príncipe herdeiro, seguido de um almoço.

À tarde, Cavaco Silva irá visitar a mesquita Xeque Zayed, seguindo depois para um encontro com empresários e participantes portugueses na reunião da comissão mista.

Na quinta-feira, o Presidente da República terá um pequeno-almoço de trabalho com investidores de fundos soberanos dos Emirados Árabes Unidos, empresários portugueses e dos Emirados.

Segundo fonte da Presidência da República, além de uma vertente política, a visita de Cavaco Silva aos Emirados Árabes Unidos tem “um pendor marcadamente económico”, pois apesar das relações económicas entre os dois países estarem a “evoluir muito positivamente” ainda é “a baixa rotação”.

De acordo com números fornecidos por Belém, em 2013 foram exportados para os Emirados Árabes Unidos cerca de 160 milhões de euros em bens e serviços.

Já no primeiro semestre deste ano registou-se um aumento de 25% das exportações portuguesas para os Emirados, existindo já 613 empresas que exportam para aquele país, de setores tão diversos como a construção civil, farmacêuticas, têxteis, agroalimentar, entre outros.

Contudo, a mesma fonte da Presidência admitiu que se trata de um mercado “muito difícil de penetrar”.

Já na reta final da visita, a meio da manhã de quinta-feira o Presidente da República irá partir de Abu Dhabi para o Dubai, onde chegara por volta da hora do almoço.

No Dubai, Cavaco Silva terá um encontro com o vice-presidente, primeiro-ministro e ministro da Defesa dos Emirados Árabes Unidos.

Ao final da tarde, o chefe de Estado terá um encontro com a comunidade portuguesa nos Emirados Árabes Unidos, no último ponto da agenda antes de regressar a Lisboa, onde chegará ao final da manhã de sexta-feira.

Entre a comitiva que acompanha o Presidente da República nesta viagem estão o presidente da Gulbenkian, Artur Santos Silva, o CEO da Galp Energia, Manuel Ferreira de Oliveira, e o CEO da Bial, António Portela.

Integram ainda a delegação empresarial o presidente da Vicaima – Indústria de Madeiras e Derivados, Arlindo da Costa Leite, o CEO da ECS Capital, o administrador da área internacional do Grupo Visabeira, João Castro, e o advogado Pedro Rebelo de Sousa, da SRS – Advogados.

Na comitiva presidencial estarão ainda o presidente da AICEP, Miguel Frasquilho, e os secretários de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, e da Alimentação e Investigação Agroalimentar, Nuno Vieira e Brito.

OJE/Lusa

Recomendadas

FMI estima que a espiral de salários-preços ainda é um “risco limitado”

A ausência de uma espiral preços-salários não deve levar os líderes a não agirem para combater a inflação persistente, considera ainda o Fundo Monetário Internacional.

Compra de carros de luxo pela TAP “é um problema de bom senso”, diz Marcelo Rebelo de Sousa

“Já falei em relação a várias entidades públicas no passado e em relação à distribuição de dividendos e em relação aos salários e entendo que quando se está num período de dificuldade deve fazer-se um esforço para dar o exemplo de contenção”, defendeu hoje Marcelo Rebelo de Sousa.

Albergaria investe 3,7 milhões de euros na zona industrial para captar investimento e criar emprego

O município “tem realizado um forte investimento no desenvolvimento económico, dinamizando o sector empresarial e a economia local” nos últimos anos, segundo António Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha.