Praia da Doca do Cavacas interdita a banhos

A interdição, que vai durar pelo menos até sexta-feira, deve-se à deteção de poluição nas águas do mar. A praia vai continuar aberta ao público mas condicionada à não utilização para banhos.

A praia da Doca do Cavacas foi temporariamente interdita a banhos, na passada quarta-feira, “devido à deteção de poluição nas águas do mar, no seguimento das vistorias quinzenais realizadas pela Direção Regional de Saúde às águas balneares na Madeira e Porto Santo”, refere a Câmara Municipal do Funchal.

“Os valores detetados na análise, em laboratório, determinam, de acordo com a lei, que seja hasteada a bandeira vermelha até ser realizada nova análise para verificação do estado das águas, tendo sido recolhida nova amostra ao fim da manhã, sendo os resultados conhecidos na manhã da próxima sexta-feira, ficando até lá o complexo balnear interdito a banhos para preservação da saúde pública dos banhistas”, acrescenta a autarquia.

A autarquia sublinha que em conjunto com a Frente Mar, entidade que gere a praia, depois de uma verificação e fiscalização às instalações da praia e do restaurante existentes no local “não detetou nenhuma anomalia nem qualquer ocorrência” nos últimos dias nas estações elevatórias existentes.

“A fiscalização da Câmara Municipal do Funchal concentra-se agora nas zonas circundantes, nomeadamente a leste da Doca do Cavacas, para o lado do Funchal, de onde parece provir a sujidade ali identificada. Até serem conhecidos os resultados da contra-análise a praia continuará aberta ao público, mas condicionada à não utilização para banhos no mar e nas piscinas naturais”, refere a autarquia.

Recomendadas

Taxa de desemprego na Madeira cai 0,2 pontos percentuais

A taxa de desemprego na Madeira fixou-se em 7,3% no segundo trimestre deste ano, menos 0,2 pontos percentuais (p.p) em relação ao anterior e menos 1,1 p.p face ao mesmo período do ano passado, foi hoje anunciado.

Governo da Madeira apoiou 39 desempregados a criarem o próprio negócio este ano

Desde a criação do programa, em 2015, o Instituto de Emprego da Madeira “aprovou 456 projetos de criação da própria empresa, num total de 790 postos de trabalho, o que representa um investimento global de 7,86 milhões de euros”, salienta a tutela numa nota distribuída à comunicação social.

CDS: Problemas dos trabalhadores da Águas e Resíduos da Madeira serão resolvidos “a médio prazo”

O CDS fala ainda de uma “perspetiva positiva” no que diz respeito a um compromisso, realizado “em breve” com a Câmara Municipal do Funchal (CMF), para que o município passe a pagar na íntegra os custos que existem atualmente, quer com os resíduos, quer com as águas, e que passem a pagá-los a 100%.
Comentários