Preços das casas para arrendar subiram 12,3% nos últimos 12 meses

A cidade de Lisboa continua a ser aquela onde é mais caro arrendar casa, com um valor de 16,7 euros\m2. A nível regional, o Algarve apresentou a única descida (2,7%), com o Alentejo a registar o maior aumento com 7,3%.

Os preços das casas para arrendar em Portugal registaram um aumento de 12,3% nos últimos 12 meses, de acordo com os dados apresentados pelo índice de preços do ‘idealista’ esta quinta-feira, 3 de novembro.

Em outubro, a subida foi de 2,7% face ao mês anterior, com o valor de arrendamento a fixar-se nos 12,1 euros\m2, tendo a variação trimestral verificado um crescimento de 6,4%.

No mês em análise, onze capitais de distrito registaram aumentos no valor do arrendamento, com a subida mais expressiva a verificar-se em Aveiro (7,3%), seguida por Lisboa (6,5%), Setúbal (5,4%), Funchal (3,4%), Viseu (3,3%), Braga (2,9%), Coimbra (2,3%), Porto (2%), Santarém (1,8%), Faro (1,5%) e Viana do Castelo (1%).

Em sentido inverso, os preços de arrendamento desceram em Castelo Branco (-9,3%) e Leiria (-0,7%).

Sem surpresas, a cidade de Lisboa continua a ser aquela onde é mais caro arrendar casa, com um valor de 16,7 euros\m2, seguindo-se o Porto (12,5 euros/m2), Funchal (11,4 euros/m2), Faro (9,5 euros/m2), Setúbal (9,4 euros/m2), Aveiro (9,3 euros/m2), Viana do Castelo (8,3 euros/m2) e Coimbra (8,2 euros/m2).

Os valores de arrendamento mais baixos encontram-se em Castelo Branco (5 euros/m2), Viseu (5,6 euros/m2), Santarém (6,1 euros/m2), Leiria (6,5 euros/m2) e Braga (7,3 euros/m2).

Em relação aos distritos e ilhas, os preços de arrendamento desceram em Castelo Branco (-11%), Portalegre (-5%), Faro (-2,7%) e Braga (-2,1%).

Já as subidas mais significativas registaram-se em Viseu (17,2%), Aveiro (7,6%), Évora (6%), Setúbal (4,7%), ilha da Madeira (4,7%), Lisboa (4,3%), Santarém (4,3%), Porto (3,8%), Coimbra (3,4%), Viana do Castelo (3%) e Leiria (2,8%).

No que diz respeito ao valor do m2, Lisboa (15,3 euros\m2) lidera ao nível dos distritos, seguida por Faro (11,2 euros/m2), Porto (11 euros/m2), ilha da Madeira (11 euros/m2), Setúbal (9,9 euros/m2), Évora (8,5 euros/m2), Viana do Castelo (8,1 euros/m2), Coimbra (7,9 euros/m2) e Aveiro (7,8 euros/m2), Leiria (7,5 euros/m2), Braga (6,8 euros/m2) e Viseu (6,4 euros/m2).

Os preços mais baixos observam-se em Portalegre (5,4 euros/m2), Vila Real (5,5 euros/m2), Castelo Branco (5,6 euros/m2) e Santarém (6,3 euros/m2).

Em termos regionais, o Algarve apresentou a única descida (2,7%) no mês de outubro, com o Alentejo a registar o maior aumento com 7,3%, seguido pela Região Autónoma da Madeira (4,6%), Região Autónoma dos Açores (4,2%), Área Metropolitana de Lisboa (4,1%), Norte (3,7%) e Centro (3,5%).

A Área Metropolitana de Lisboa, com 14,6 euros/m2, continua a ser a região mais cara, seguida pelo Algarve (11,2 euros/m2), Região Autónoma da Madeira (10,9 euros/m2) e Norte (10,1 euros/m2).

Em sentido inverso, encontram-se a Região Autónoma dos Açores (7,1 euros/m2), o Centro (7,4 euros/m2) e o Alentejo (8,3 euros/m2).

Recomendadas

PremiumNorfin estima investir 750 milhões de euros em projetos até 2027

Deste valor, 700 milhões serão direccionados para a promoção de construção nova, nomeadamente, 350 milhões para a área residencial, 200 milhões para o segmento de escritórios, 100 milhões de euros para o sector da hotelaria e 50 milhões de euros em retalho.

PremiumMaior negócio imobiliário do ano em Portugal atrai 20 propostas (com áudio)

As propostas não vinculativas para a compra dos ativos que a VIC Properties pôs à venda foram entregues na passada sexta-feira. Entre as mais de 20 propostas entregues está a da Vanguard Properties para a Herdade do Pinheirinho.

Prestação da casa sobe entre 108 e 251 euros em dezembro

A prestação da casa paga pelos clientes bancários no crédito à habitação vai subir acentuadamente este mês nos contratos indexados à Euribor a três, seis e 12 meses, face às últimas revisões, segundo a simulação da Deco/Dinheiro&Direitos.
Comentários