Preços da habitação registam maior subida em cinco anos

O Algarve foi a única região a contrariar a dinâmica de crescimento do indicador de vendas.

O Índice de Preços da Habitação (IPHab) publicado hoje pelo INE regista um aumentou de 7,6% no terceiro trimestre de 2016, comparativamente ao mesmo período do ano anterior.

O Instituto explica que este elevado crescimento tem sido influenciado pelo avanço verificado nos preços dos alojamentos existentes, que registam uma subida de 9,1% entre Julho e Setembro.

Em relação ao trimestre anterior, a progressão divulgada hoje aponta um crescimento de 1,3%, sendo que o preço dos alojamentos existentes cresceu 1,7%, enquanto os alojamentos novos não superaram os 0,3%.

“O aumento dos preços das habitações observou-se em ambos os segmentos de mercado, com os alojamentos novos a registarem uma taxa de variação média anual do IPHab de 3,7% e os alojamentos existentes de 7,7%”, salienta o relatório.

Lisboa e a zona do Norte concentraram as transações do período de Verão, com um crescimento de 15,8% no número de alojamentos existentes transacionados entre Julho e Setembro, representando 84% do total de 31.535 operações.

Este segmento atinge pelo segundo trimestre consecutivo “os mais elevados registos da série disponível”, com início no terceiro trimestre de 2011, verificando-se desde o terceiro trimestre de 2014 um crescimento a um ritmo superior ao dos alojamentos novos.

Em termos valorativos, os alojamentos transaccionados no terceiro trimestre traduzem uma subida de 17,6% face ao mesmo período do ano passado, ultrapassando os 3,6 mil milhões de euros.

Considera-se assim que este segmento dos alojamentos existentes “continuou a ser o único impulsionador do crescimento do valor das transacções”, já que os alojamentos novos apresentam uma regressão de 4,3% face ao período homólogo.

Lisboa é ainda o foco de concentração das transações apresentando 47,4% do valor total dos alojamentos transaccionados, registando pelo terceiro trimestre consecutivo mais de 10 mil transações, sendo o valor real 10.756.

O Norte totaliza 9.518 vendas de alojamentos, atingindo assim “o mais elevado registo de transacções verificado desde o quarto trimestre de 2010”.

Nas ilhas o INE salienta os Açores, a região onde o aumento do número de vendas de alojamentos familiares foi o mais expressivo (36,4%).

“A única a contrariar a dinâmica de crescimento do indicador de vendas de alojamentos, tendo registado uma redução de 0,4% no número e de 5,1% no valor” é a região do Algarve, segundo os dados publicados.

Recomendadas

Banco Nacional de Angola desce juros, em contraciclo com os outros bancos centrais

O comité que decide a política monetária angolana justificou a descida dos jurps com a “consistência do abrandamento da evolução de preços na economia nacional, particularmente desde o início do ano, como resultado do contínuo e rigoroso controlo da liquidez, da apreciação do kwanza em relação às principais moedas utilizadas nas transacções com o exterior”.

CAP contesta que tese de que subsídios dados aos agricultores sejam “perversos”

“A temática da água, do seu bom uso e utilização como recurso, é um assunto levado muito a sério pelos agricultores e demasiado importante para se subordinar a declarações falsas e difamatórias de um único responsável”, refere a confederação em resposta a Joaquim Poças Martins.

Goldman Sachs alerta para alastramento da inflação na zona euro e prevê mais 75 pontos nos juros em outubro

A pressão nos preços do bloco da moeda única dá sinais de se alastrar a vários sectores, levando o banco de investimento a rever em alta a sua projeção para a inflação subjacente em 2023. Reunião de outubro do BCE deve trazer nova subida de 75 pontos base, acrescenta.
Comentários