Preços das casas sobem 9,3% na zona euro e 9,9% na UE no segundo trimestre

De acordo com o serviço estatístico europeu, na comparação com os primeiros três meses do ano, os preços das casas avançaram 3,2% na zona euro e 3,1% na UE.

Margarida Grossinho

Os preços das habitações aumentaram, no segundo trimestre do ano, 9,3% na zona euro e 9,9% na União Europeia (UE), face ao período homólogo, segundo dados hoje divulgados pelo Eurostat.

De acordo com o serviço estatístico europeu, na comparação com os primeiros três meses do ano, os preços das casas avançaram 3,2% na zona euro e 3,1% na UE.

O indicador avançou, na comparação com o segundo trimestre de 2021, em todos os Estados-membros e, em 16 deles, subiu mais de 10%, com os principais aumentos a serem registados na Estónia (27,4%), na República Checa (23,1%), a Hungria (22,8%) e na Lituânia (22,1%).

As menores subidas homólogas dos preços das habitações observaram-se, por seu lado, em Chipre (2%), na Finlândia (2,2%) e na Dinamarca (2,8%).

Já face ao primeiro trimestre, entre abril e junho, os maiores aumentos dos preços das casas foram registados na Estónia (8,0%), na Lituânia (5,9%) e na Letónia e Eslováquia (5,5% cada).

Já os menores agravamentos do indicador foram observados na Suécia (0,5%), na Finlândia e na Bélgica (1,3% cada).

Em Portugal, os preços das habitações subiram 13,2% na variação homóloga e 2,9% na comparação em cadeia.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Adiado início de julgamento de guineenses acusados de tentativa de golpe de Estado

 O julgamento de 25 pessoas acusadas de tentativa de golpe de Estado na Guiné-Bissau, que deveria começar hoje, ficou adiado para uma nova data devido a problemas logísticos, lê-se no despacho do juiz titular do processo, João Gomes Cá.

Ucrânia: Regulador cancela licença de emissão de televisão russa na Letónia

Numa publicação feita na rede social Twitter, o regulador acusou o canal russo no exílio de uma série de violações das leis da Letónia, nomeadamente por ter mostrado a península da Crimeia como parte da Rússia num mapa.
Comentários