Preços dos seguros globais com aumento de 9% no segundo trimestre

Os preços dos seguros aumentaram 9% globalmente no segundo trimestre de 2022, face a um aumento de 11% no primeiro trimestre, de acordo com o Global Insurance Market Index divulgado esta segunda-feira pela Marsh.

Os preços dos seguros globais continuam moderados, com um aumento de 9% no segundo trimestre de 2022, avança a consultora Marsh

De acordo com o Global Insurance Market Index divulgado esta segunda-feira pela Marsh, líder mundial em consultoria de risco e corretagem de seguros, os preços dos seguros aumentaram 9% globalmente no segundo trimestre de 2022, face a um aumento de 11% no primeiro trimestre,  mantendo-se uma tendência de aumento moderado dos preços dos seguros que começou no primeiro trimestre de 2021.

Embora este seja o 19.º trimestre consecutivo de aumentos, o ritmo do aumento continuou a ser moderado na maioria dos ramos e em praticamente todas as geografias, refere o estudo.

Os prémios globais de seguros de danos materiais subiram em média 6% no 2.º trimestre de 2022, em comparação com um aumento de 7% registado no trimestre anterior, lê-se no estudo.

Já os prémios de responsabilidades aumentaram em média 6%, por comparação com os 4% do trimestre anterior.

Por sua vez , os prémios nas linhas financeiras e profissionais, impulsionados pelos seguros de cyber, voltaram a registar a maior taxa de aumento nas principais linhas de seguros, com 16%. No entanto, este é um valor abaixo dos 26% registados no trimestre anterior.

Os prémios nos seguros de responsabilidade civil de administradores e diretores (D&O) diminuíram nos EUA, Reino Unido e Pacífico.

A Marsh diz que os preços dos seguros para riscos cibernéticos continuam a aumentar significativamente, embora o ritmo de aumento tenha abrandado no trimestre, para 79% nos EUA e 68% no Reino Unido, em comparação com 110% e 102%, respetivamente, no trimestre anterior.

“A avaliação tornou-se um ponto fulcral para as seguradoras, impulsionada por preocupações com a inflação, cadeias de fornecimento e escassez de mão-de-obra, bem como a inflação nos sinistros nos casos em que o valor dos prejuízos excedem os valores seguros”, avança a consultora.

Os aumentos de preços na maioria das regiões foram moderados devido a um menor nível de aumentos, e algumas diminuições, em algumas linhas financeiras e profissionais, explica a Marsh.

O Reino Unido, com um aumento do preço composto de 11% (contra 20% no primeiro trimestre de 2022), registou a maior descida nos aumentos de preços médios. Já nos EUA os preços aumentaram 10% (contra 12% no trimestre anterior). Por sua vez, na região do Pacífico foi de 7% (contra os 10% registados no primeiro trimestre de 2022), enquanto na América Latina e Caraíbas o aumento foi de 5% (contra 6% no trimestre anterior).

Na Ásia o aumento registado foi de 3% e na Europa Continental foi de 6%, em ambos os casos valores iguais aos registados no 1.º trimestre do ano nestas regiões.

António Morna, Diretor de Placement da Marsh Portugal diz no comunicado que “numa altura de incerteza empresarial a nível global, impulsionada pela guerra em curso na Ucrânia, a rutura da cadeia de fornecimento e o aumento da inflação, as condições comerciais permanecem desafiantes para muitos clientes. Estamos também a assistir ao impacto do aumento da inflação nos valores segurados e no aumento da exposição ao risco, o que pode ter impacto nos preços e no apetite  do mercado segurador”.

“Continuamos a trabalhar com os nossos clientes para encontrar os preços e coberturas mais competitivos para satisfazer as suas necessidades neste ambiente volátil”, conclui.

 

Recomendadas

Sindicato denuncia que administração da Caixa quer fechar mais 23 agências (com áudio)

O banco estatal registou lucros de 486 milhões no primeiro semestre de 2022. Sindicato recorda que a CGD já encerrou mais de 300 agências em Portugal.

Banco do Brasil regista lucro recorde no primeiro semestre

O banco público, cujas ações são negociadas na bolsa de São Paulo, atribuiu o seu resultado histórico semestral ao salto na carteira de empréstimos graças à recuperação económica a que o país tem assistido até agora este ano.

Autoridade da Concorrência de Itália aplica multa de 5 milhões à Generali e UnipolSai

A AGCM acusou as duas empresas de “conduta enganosa e agressiva” por “atenderem tardiamente, no que se refere aos prazos estabelecidos pela regulamentação do setor, a inúmeras instâncias” apresentadas por clientes.
Comentários