Prémio Pessoa 2017: Arquiteto Manuel Aires Mateus é o vencedor

O Prémio Pessoa distingue anualmente um português que tenha tido “intervenção relevante na vida artística, literária ou científica”.

YouTube

O arquiteto Manuel Aires Mateus é o vencedor do Prémio Pessoa, foi esta sexta-feira anunciado pelo presidente do júri, Francisco Pinto Balsemão, no Palácio de Seteais, em Sintra. Aires Mateus  sucede assim a Frederico Lourenço, vencedor do Prémio Pessoa 2016.

O júri do Prémio Pessoa 2017 é composto por Francisco Pinto Balsemão (presidente), Emídio Rui Vilar (vice-presidente), Ana Pinho, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto de Moura, José Luís Porfírio, Maria Manuel Mota, Maria de Sousa, Pedro Norton, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery e Viriato Soromenho-Marques.

O Prémio Pessoa distingue anualmente uma personalidade portuguesa que tenha tido uma “intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica”.

Recomendadas

Premium“O desenho pode ser um ponto de partida para começar uma coleção”

“Os portugueses conhecem os seus artistas, respeitam-nos e valorizam-nos”. Palavra de curadora, que é também diretora da única feira dedicada ao desenho em Portugal. Mónica Álvarez Careaga fala ao JE na identidade muito própria da Drawing Room Lisboa e da sua crescente “portugalidade”, que considera ser o reconhecimento de “várias gerações de excelentes artistas” portugueses.

PremiumSom harmonioso

Desenvolvido em segredo, o Co-Axial Master Chronometer Calibre 1932 é o primeiro movimento de relojoaria do mundo a fundir as funções de cronógrafo e de repetidor de minutos, necessitando do seu próprio “cérebro” mecânico para fazer soar o tempo decorrido.

PremiumSobre a necessidade de reinvenção de um continente no século XXI

Uma reportagem recente de um consórcio nacional de jornalistas trouxe para a luz do dia a existência de um número verdadeiramente assustador de elementos das forças de segurança portuguesas que não honram a farda, semeando o ódio, incentivando à violência e demonstrando um feroz racismo, quer contra cidadãos de etnia cigana, quer contra negros.
Comentários