Preocupado com bem-estar animal, acionista Icahn quer nomear duas administradoras para a McDonald’s

O McDonald’s alega ter conduzido à melhoria dos padrões de bem-estar animal. A batalha é centrada em alegações sobre as porcas que estão grávidas e que são mantidas em caixas pequenas, uma prática que é considerada por Icahn como “obscena”.

O multimilionário Icahn cuja reputação faz dele uma lenda em Wall Street, quer dois assentos no conselho de administração da cadeia de fast food McDonald’s. O investidor é dono de apenas 200 ações da empresa, mas, alegadamente entusiasmado pela sua filha, uma conhecida ativista do bem-estar animal, decidiu começar esta batalha.

De acordo com a “BBC”, o McDonald’s alega ter conduzido à melhoria dos padrões de bem-estar animal. A batalha é centrada em alegações sobre as porcas que estão grávidas e que são mantidas em caixas pequenas, uma prática que é considerada por Icahn como “obscena”.

Ichan argumenta que o McDonald’s não cumpriu a promessa feita em 2012 de eliminar gradualmente o fornecimento de carne de porco de porcos alojados nas chamadas “caixas gestacionais”. Icahn tinha pedido aos fornecedores de carne de porco da McDonald’s que apenas forneçam a cadeia de fast food com “carne de porco sem caixotes”.

A McDonald’s disse num comunicado no domingo que continuaria a trabalhar com a indústria para melhorar as normas, mas que algumas das exigências de Icahn não eram razoáveis, não chegando a explicitar quais.

Ichan foi durante vários meses conselheiro em matérias de reformas de regulação do antigo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mas abandonou o cargo depois da controvérsia do presidente. De acordo com a BBC, é pouco provável que tenha sucesso com as nomeações.

Recomendadas

Banco de Fomento lança consulta pública para dois novos Programas de co-investimento em PME

Estando ainda disponível o montante de 475 milhões de euros para lançar novos Programas, “o BPF convida as empresas e todos os interessados a participar na consulta pública acerca de futuras soluções de capital e quase capital, com o objetivo de obter contributos sobre as condições de dois Instrumentos Financeiros pré-estruturados destinados a fomentar a constituição de empresas e/ou capitalização empresarial”, revela o banco liderado por Ana Carvalho.

Premium“Somos a ótica das pessoas e que traz o know how francês”, diz CEO do grupo MonOpticien

Em entrevista ao JE, o CEO do grupo MonOpticien, Florent Carriére, explica o modelo de subscrição que traz para Portugal. “O meu concorrente não é a Multióticas, é a a Netflix e o Spotify”, sublinha.

Bancos da zona euro devolvem antecipadamente 447,5 mil milhões ao BCE

Este montante vem juntar-se aos quase 300 mil milhões de euros que foram reembolsados antecipadamente em 23 de novembro.
Comentários