Presidente da Altice Portugal garante que empresa não está à venda (com áudio)

“O nosso acionista já o disse publicamente, a Altice Portugal não está à venda. O ativo português não está à venda”, disse Alexandre Fonseca.

Rafael Marchante/Reuters

O presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, numa entrevista à CNN Portugal esta segunda-feira à noite, garantiu que a empresa em Portugal não está à venda. “O nosso acionista já o disse publicamente, a Altice Portugal não está à venda. O ativo português não está à venda”, disse Alexandre Fonseca.

Numa entrevista sobre o 5G, o CEO da Altice Portugal disse que  este é “um tema que já foi desmistificado e clarificado pelos nossos próprios acionistas, que estão satisfeitos com a operação em Portugal”.

Recorde-se que o “Expresso” avançou que a Altice Portugal estaria à venda e a Bloomberg noticiou que a Blackstone, a CVC Capital Partners, a Apollo Global Management e a EQT, bem como a operadora espanhola MásMovil, dona da Nowo, estariam na corrida.

O valor estimado para a operação seria de cerca de sete mil milhões de euros. O Jornal Económico avançou que o banco de investimento francês,  Lazard, enviou um ‘teaser’ a potenciais interessados na operação em Portugal.

Sobre o leilão do 5G, o CEO da Altice disse que ia estar em todo o país, mas não garantiu a cobertura universal do país. “É preciso que haja um co-investimento entre o setor público e setor privado” disse Alexandre Fonseca que sugere que parte dos mais de 500 milhões de euros de encaixe com o leilão seja usado pelo Estado para co-investir na cobertura integral do país. Os recursos financeiros das empresas são limitados, disse ainda o CEO sobre o limite do investimento nas redes.

“Depois da conclusão do leilão do 5G não foi atribuída a totalidade do espectro que estava em leilão, sobraram lotes na casa dos 20 milhões de euros”, disse o CEO da Altice que conclui que este leilão foi mal desenhado desde o princípio.

Relacionadas

Estado arrecada 410 milhões em licenças do 5G já este ano e MEO ainda só pagou metade

Dense Air, a Vodafone e a NOS já pagaram a totalidade das licenças de 5G. MEO, a Nowo e Dixarobil Telecom ainda só pagaram – o que é permitido pelas regras do leilão – metade das licenças.

PremiumLeilão do 5G reforça concorrência e tem impacto na potencial venda da MEO

Espanhola MásMovil, dona da Nowo, será a melhor posicionada para a compra da maior operadora portuguesa. Com a conclusão do leilão de 5G, o mercado espera que Altice relance o processo de venda.
Recomendadas

Estudo descarta ligação direta do metrobus à Mealhada

Um estudo encomendado pela Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra para a expansão do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) descarta a ligação direta à Mealhada, por não conseguir competir com a ferrovia.

Spotify lança podcasts em vídeo a nível global

The Big Ones destaca semanalmente as inovações e movimentos estratégicos das empresas que lideram a nova economia.

“2023 será um ano de crescimento nos mercados externos”

O Grupo VAA tem como objetivo globalizar as suas duas marcas principais, Vista Alegre e Bordallo Pinheiro, e identificou sete mercados estratégicos onde está a apostar, explica Nuno Barra.
Comentários