Presidente da Assembleia da Madeira pede auxílio do Estado para recuperação dos danos provocados pelo temporal em São Vicente

O presidente da Assembleia da Madeira considera que vai levar algum tempo para repor a normalidade, na Ponta Delgada e na Boaventura, freguesias do concelho de São Vicente. José Manuel Rodrigues diz que a reparação dos estrados provocados pelo temporal “vai exigir grandes meios financeiros que a Região não dispõe, e daí que seja dever do Estado ajudar a Região, e ajudar particularmente o concelho de São Vicente e estas duas freguesias, neste momento difícil”.

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, pediu o auxílio do Estado para recuperação dos danos provocados pelo temporal em São Vicente.

“A situação é mais grave do que aquilo que se previa”, afirmou o presidente da Assembleia Regional, numa visita aos locais mais afetados pelo temporal. “Há prejuízos avultados, de milhões de euros, quer na área pública (nas vias de comunicação, na energia e na rede de águas), quer também em terrenos privados e em habitações”, acrescentou.

“Perante a dimensão dos prejuízos, acho que é dever do Estado, como já aconteceu, noutras circunstâncias e noutros concelhos do país, apoiar o concelho de São Vicente e a Região Autónoma da Madeira, no sentido de podermos recuperar a normalidade na vida da Ponta Delgada e da Boaventura”, reforçou.

“Repor a normalidade nestas duas freguesias vai levar algum tempo e vai exigir grandes meios financeiros que a Região não dispõe, e daí que seja dever do Estado ajudar a Região, e ajudar particularmente o concelho de São Vicente e estas duas freguesias, neste momento difícil”, disse José Manuel Rodrigues.

O presidente da Assembleia da Madeira elogiou o trabalho que tem sido feito pela Câmara Municipal de São Vicente, pelas juntas de freguesia, pela Secretaria Regional de Equipamentos e Infraestruturas, pela empresa pública Águas e Resíduos da Madeira (ARM), pela Empresa de Eletricidade da Madeira e pelas as empresas de telecomunicações e de construção civil, desde 25 de dezembro, para desobstruir estradas, repor a água potável, a eletricidade e as telecomunicações.

José Manuel Rodrigues destacou também o trabalho realizado pelo Instituto de Segurança Social da Madeira e da Investimentos Habitacionais, na área do alojamento e de outro tipo de apoios. A ajuda logística bem como a alimentação de voluntários e profissionais que têm auxiliado na limpeza de casas e estradas, realizado pelas Casas do Povo foi outro dos destaques do presidente da Assembleia da Madeira.

Recomendadas

Madeira: Entidades do sector da construção e imobiliário assinam protocolo de colaboração para fiscalização do sector

Com este protocolo o IMPIC obriga-se a manter na Região quadros da sua Direção de Inspeção, para exercer na Região as funções de inspeção e fiscalização que lhe estão legal e estatutariamente atribuídas. 

Contrair dívidas para pagar outras dívidas é boa ideia? Saiba aqui

O primeiro passo para organizar a sua vida financeira é constituir um Fundo de Emergência. Se ainda não tem comece já a constituir o seu, equivalente a, pelo menos, entre três a seis meses de ordenado, aplicando-o num produto mobilizável a curto prazo.

Madeira: Noite do Mercado está de volta e sem restrições

Na apresentação do evento, que decorreu esta segunda-feira no Salão Nobre, o presidente da Câmara Municipal do Funchal, realçou que a Noite do Mercado será uma “festa tradicional” que decorre a partir das 15h30 do dia 23 de dezembro até às 4h do dia 24 de dezembro.
Comentários