Presidente da Câmara do Funchal defende regime de baixa fiscalidade para empresas e famílias

O autarca referiu que o município está a esgotar as soluções que permitem ao Funchal reduzir a carga fiscal ao mínimo.

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Pedro Calado, defendeu um regime fiscal baixo como solução para as empresas e famílias, e afirmou que o município está a esgotar as soluções que permitem reduzir a carga fiscal ao mínimo.

O autarca sublinhou, durante a conferência “Uma Reforma Fiscal para o século XXI”, que um regime fiscal baixo permite “atrair investimento e criar postos de trabalho”, acrescentando que a Madeira é a região do país com o mais baixo IRC, e tem implementado um regime diferenciado para a costa Norte e para o Porto Santo.

Pedro Calado referiu que a Madeira poderia dar “mais um passo significativo” se a nível nacional se permitisse baixar as taxas de IRC e de IRS.

O presidente da autarquia pediu que se olhe para as especificidades que cada região tem. “Isto de querer gerir um país com as especificidades que existem nos Açores, na Madeira e no Continente e querer gerir de uma só forma uniformizada, julgo que não dá bom resultado”, salientou Pedro Calado.

O presidente da Câmara do Funchal defendeu um sistema que seja “mais adequado aos recursos e às necessidades de cada uma das regiões”.

A conferência, realizada pela secção regional da Madeira da Associação Fiscal Portuguesa, teve como tema “Uma Reforma Fiscal para o século XXI”, que foi baseada no livro coordenado por Joaquim Miranda Sarmento intitulado “Uma Reforma Fiscal para o século XXI”.

Recomendadas

Madeira regista 47 acidentes de viação no espaço de uma semana

Estes acidentes resultaram em 19 feridos ligeiros. Destes, doze registaram-se no Funchal, dois na Ribeira Brava, dois em Machico e um em Câmara de Lobos, na Ponta do Sol e no Porto Moniz. 

Chega “não tem relevância” política na Madeira, diz Miguel Albuquerque

O presidente do Governo regional desvalorizou, este sábado, afirmações de André Ventura, líder do Chega, de que nas eleições regionais na Madeira o objetivo é “fazer mossa e fazer tremer” o Governo do PSD/CDS.

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos da Região duplicou em 2022

Em dezembro de 2022, registou-se, nos aeroportos da RAM, um movimento de 326,7 mil passageiros, transportados em 2.729 aeronaves (voos comerciais), traduzindo variações homólogas de 61,7% e 34,2%, respetivamente.
Comentários