Presidente da EDP Brasil condecorado com Ordem de Mérito Empresarial

Miguel Setas recebeu a condecoração atribuída pelo Presidente da República pelos “serviços relevantes no desenvolvimento ou na valorização da riqueza do país”.

Miguel Setas, Presidente da EDP Brasil, foi hoje condecorado com o Grande Oficialato da Ordem do Mérito Empresarial da República Portuguesa. Atribuída pelo presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, e entregue a Setas pelo embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Cabral, a condecoração, criada em 1893 pelo rei D. Carlos, distingue empresários ou trabalhadores com serviços relevantes no desenvolvimento ou na valorização da riqueza no país.

Miguel Setas estabeleceu-se no Brasil a partir de 2008, e desempenha o cargo de Presidente da EDP Brasil desde 2014, tendo sido nomeado no ano seguinte Presidente da Câmara Portuguesa do Comércio em São Paulo, uma associação civil sem fins lucrativos que apoia empresas portuguesas nas suas relações comerciais e de investimento no Brasil e de empresas brasileiras em Portugal.

Na rececção ao ministro dos negócios Estrangeiros Augusto Santos Silva, realizada na sede desta associação, cerimónia onde lhe foi entregue esta condecoração, Miguel Setas considerou esta condecoração “uma distinção para as organizações que represento atualmente, EDP Brasil e a Câmara Portuguesa”. “Este não é o reconhecimento de uma pessoa”, disse Setas, “mas sim de uma comunidade empresarial viva, dinâmica e responsável”.

Recomendadas

Sentimento económico na UE e zona euro aumentou pela primeira vez desde fevereiro

Por sua vez, o indicador de expectativas de emprego (EEI) aumentou (+1,4 pontos para 106,3 na UE e +2,0 pontos para 107,4 na área do euro) em novembro.

Idade da reforma não mexe. Terá de trabalhar até aos 66 anos e quatro meses para pedir a pensão em 2024

A esperança média de vida aos 65 anos voltou a cair por causa da pandemia, mas não o suficiente para baixar a idade da reforma, de acordo com os cálculos do Jornal Económico.

Confiança dos consumidores volta a recuar e clima económico aumenta em novembro

De acordo com os ‘Inquéritos de Conjuntura às Empresas e aos Consumidores’ do Instituto Nacional de Estatística (INE), “o indicador de confiança dos consumidores diminuiu entre setembro e novembro, apenas marginalmente no último mês, atingindo um valor próximo do registado em abril de 2020 no início da pandemia”.
Comentários