Presidente da Fundação Mário Soares diz que fundação “está viva” e vai continuar

A presidente da Fundação Mário Soares garantiu hoje que a instituição “está viva” e vai desenvolver novas atividades, rejeitando assim a ideia de um encerramento.

Durante a cerimónia de entrega de um prémio, Isabel Soares fez questão de sublinhar que a instituição “está viva, ao contrário do que dizem alguns arautos da desgraça”.

“Estamos empenhados em dinamizar a fundação e convictos de que vamos conseguir […]. Temos estado a arrumar a casa e a dotá-la de novos meios […]. Não a vamos deixar cair, isso posso assegurar-vos”, afirmou, adiantando que no início do próximo ano serão divulgadas novas atividades da Fundação Mário Soares.

Isabel Soares, presidente da fundação e filha do histórico socialista e antigo Presidente da República Mário Soares, falava durante a cerimónia de entrega do Prémio Fundação Mário Soares – Fundação EDP 2019.

O prémio foi atribuído a Pedro Marques Gomes pela sua tese de doutoramento “Jornais, Jornalistas e Poder: a Imprensa que nasce na Revolução e as lutas políticas de 1975”, apresentada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

O júri atribuiu ainda uma menção honrosa a Tânia dos Reis Alves, pela sua tese “1961 – Sob o viés da imprensa. Os jornais portugueses, britânicos e franceses na conjuntura da eclosão da guerra no império português”.

Esta foi a 21.ª edição do prémio, galardão que Isabel Soares prometeu que continuará a existir.

A cerimónia de entrega do prémio coincidiu com o dia em que Mário Soares cumpriria 95 anos. O antigo primeiro-ministro e Presidente da República morreu em janeiro de 2017.

Constituída em setembro de 1991, a Fundação Mário Soares é uma instituição de direito privado e utilidade pública sem fins lucrativos.

Recomendadas

Papa Francisco pede a Putin para parar a guerra e alerta para risco nuclear

Francisco sempre mostrou preocupação com a guerra na Ucrânia, chegando a ponderar uma viagem a este país, e agora decidiu dedicar o Angelus a refletir sobre este problema, algo que raramente acontece, sendo que a última vez que ocorreu em 2013 para pedir a paz na Síria.

Brasileiros fazem fila para votar em Lisboa na abertura das urnas

Caso nenhum dos candidatos obtenha a maioria de 50% mais um voto este domingo, a segunda volta realiza-se com os dois mais votados no dia 30.

Transição climática é prioridade para grandes empresas

Sonae, CTT, NOS e Altri têm estratégias consolidadas no combate às alterações climáticas e querem com as suas práticas influenciar toda a cadeia de valor. O JE foi conhecer as metas traçadas e as medidas para as atingir.
Comentários