Presidente da República lamenta a morte do empresário Salvador Guedes

Salvador da Cunha Guedes esteve mais de 30 anos na Sogrape, tendo sido responsável pela internacionalização da empresa. Morreu esta sexta-feira, aos 64 anos.

Sogrape

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou esta sexta-feira a morte do antigo presidente da Sogrape e fundador da Associação Portuguesa de Esclerose Lateral Amiotrófica, Salvador Guedes, assinalando a sua vida de coragem dedicada a causas.

Salvador da Cunha Guedes dedicou a sua vida a causas, numa primeira etapa empresarial à causa familiar do vinho, presidindo e desenvolvendo a Sogrape, e numa segunda etapa, à causa da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), fundando a Associação Portuguesa de Esclerose Lateral Amiotrófica”, lê-se numa mensagem publicada no sítio da internet da Presidência da República. Salvador Guedes, ex-presidente da Sogrape Vinhos, morreu esta sexta-feira. Tinha 64 anos.

Na mensagem, em que lamenta a morte de Salvador Guedes e apresenta à família as suas mais sentidas condolências, Marcelo Rebelo de Sousa sublinha que o empresário “empenhou a sua coragem e a força do caráter ao serviço dos outros”.

“E por esse facto foi condecorado pelo Presidente da República com o grau de comendador da Ordem do Mérito em 3 de outubro de 2016”, refere-se na nota.

Na ocasião da sua condecoração, o Presidente da República afirmou que “Salvador Guedes foi sempre e continua a ser denodadamente um combatente solidário, empenhado em criar pontos de encontro, estruturas de convergência, traços de comunhão de vida com aqueles companheiros de jornada. Sempre chamando tantos outros para a faina comum”.

Salvador da Cunha Guedes esteve mais de 30 anos na Sogrape, tendo sido responsável pela internacionalização da empresa, “já que ao longo da sua liderança o grupo cresceu exponencialmente, tornando-se verdadeiramente global”, lê-se no sítio da internet do grupo empresarial.

Recomendadas

Os desafios e constrangimentos de Christine Ourmières-Widener no primeiro ano

Christine Ourmières-Widener cumpre este sábado um ano como presidente executiva da TAP, um período marcado pelos desafios e constrangimentos da execução do plano de reestruturação, um compromisso que assumiu no primeiro dia.

PremiumAuditoria ao Novobanco há meses à espera do Parlamento

A terceira auditoria da Deloitte ao Novobanco foi entregue aos deputados em abril, mantendo-se como confidencial de forma provisória. Desde então, o tema não voltou a ser discutido.

Operação da TAP em níveis de 2019 mas conflitos laborais ameaçam verão

As dificuldades nas negociações entre a TAP e os sindicatos, numa altura em que o tráfego está próximo de níveis de 2019, ameaçam perturbar a operação no verão, com as estruturas a darem indicações de que poderão convocar greves.
Comentários