Presidente da República promulgou Lei de Bases do Clima

Com a promulgação de Marcelo o país passa a ter o compromisso de reduzir as emissões de carbono em pelo menos 55% até 2030.

Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República promulgou a Lei de Bases do Clima, esta segunda-feira, 13 de dezembro. Em comunicado na página da presidência é destacado que “o Presidente da República promulgou o Decreto da Assembleia da República aprovando a Lei de Bases do Clima”.

No passado dia 5 de novembro a Assembleia da República aprovou, em votação final global, o decreto relativo à Lei de Bases do Clima com votos a favor do Partido Socialista (PS), Partido Social Democrata (PSD), CDS-PP, Verdes, PAN, Chega e deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues.

Por sua vez, a Lei de Bases do Clima contou com abstenções Partido Comunista Português (PCP), que apresentou um projeto de lei de bases do clima próprio, e voto contra da Iniciativa Liberal.

O texto final da lei agrega projetos de lei apresentados pelo PS, PSD, Verdes, PAN, Bloco de Esquerda e deputadas não-inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues.

A lei aprovada pelo Parlamento e Presidente da República define que  Portugal deverá reduzir, em relação aos valores de 2005,  as emissões em pelo menos 55% até 2030 e entre 65% e 75% até 2040.

Relacionadas

Assembleia da República aprova Lei de Bases do Clima

O texto final da Lei, foi aprovado em votação final global pelo PS, PSD, CDS-PP, Verdes, PAN, Chega deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues, abstenção do PCP e voto contra da Iniciativa Liberal.

PSD quer reconhecimento de “clima estável” como património comum da humanidade

Na semana em que Portugal comprometeu-se em reduzir as emissões de metano em 30% na 26ª cimeira das Nações Unidas sobre alterações climáticas, o PSD recomenda ao Governo reconhecimento de “clima estável” como património comum da humanidade, juntando-se assim ao PS e PAN que já tinham dado entrada no Parlamento de propostas semelhantes.

Clima: Deputados socialistas querem antecipar neutralidade carbónica em cinco anos

Num comunicado hoje divulgado o grupo parlamentar do PS explica que quer que o Governo faça nos próximos três anos um estudo para sustentar a antecipação em cinco anos da meta da neutralidade carbónica, “no mínimo 2045”.
Recomendadas

Sismos. São Jorge sem eventos sentidos desde quinta-feira

O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) não regista sismos sentidos pela população na ilha de São Jorge desde quinta-feira.

Ministério do Ambiente anuncia mais de três mil fiscalizações em 2021

As entidades que integram o Plano Nacional de Fiscalização e Inspeção Ambiental (PNFIA) realizaram 3.086 ações de fiscalização/inspeção a operadores e empresas em 2021, tendo sido levantados um total 541 autos de notícia, o que corresponde a 17,53% das situações verificadas.

PAN propõe plástico zero nos supermercados até 2026

A legislação atual determina que, a partir do dia 1 de junho de 2023, todos os estabelecimentos comerciais que vendem pão, fruta e legumes vão ficar impedidos de vender sacos de plástico ultraleves.
Comentários