Presidente de Moçambique diz que nação está estável e regressou ao crescimento

Filipe Nyusi apontou a estabilização da política monetária e taxa de câmbio, bem como a redução da taxa de juros e da inflação como grandes ganhos no plano macroeconómico.

Maputo, Moçambique

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, defendeu hoje no parlamento que o país está “estável”, defendendo que o país voltou à rota do crescimento e prosperidade, depois de ter entrado em crise económica e política em 2016.

“Podemos afirmar, com segurança, que o estado da Nação é estável e que nos inspira confiança”, declarou Filipe Nyusi, falando na Assembleia da República sobre a situação geral da nação de 2018.

Segundo Nyusi, a grande conquista deste ano foi o alcance da estabilidade política e social, que permitiu que o país se concentrasse na atividade económica.

“Essa estabilidade permitiu que se lançasse a retoma da nossa economia”, enfatizou, durante um discurso que se prolongou por cerca de duas horas.

O Presidente moçambicano apontou a estabilização da política monetária e taxa de câmbio, bem como a redução da taxa de juros e da inflação como grandes ganhos no plano macroeconómico.

No campo social, o país conheceu uma assinalável expansão das redes escolar e de saúde, abastecimento de água e energia, continuou.

“Fomos capazes de apetrechar as escolas com carteiras, fomos capazes de instalar estabelecimentos bancários nos distritos e fomos capazes de construir novas vias de acesso em todas as províncias”, destacou Filipe Nyusi.

O chefe de Estado moçambicano salientou que o país voltou a ganhar a confiança internacional, depois de em 2016 ter perdido o apoio direto ao Orçamento do Estado, na sequência da descoberta de dívidas secretamente avalizadas pelo Governo.

“Nós, moçambicanos, fomos capazes de restabelecer a confiança e credibilidade internacional”, defendeu Filipe Nyusi, muitas vezes aplaudido pela bancada da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, perante o silêncio das duas bancadas da oposição (Resistência Nacional Moçambicana e Movimento Democrático de Moçambique).

Relacionadas

Moçambique terá certificação de origem de diamantes a partir de 2019

Moçambique vai contar a partir de 2019 com um secretariado executivo de certificação de origem de diamantes produzidos no país.

China prevê apoiar construção de um novo hospital central em Maputo

O Governo da China prevê apoiar Moçambique na construção de um novo hospital central em Maputo, em substituição do atual com mais de 100 anos, anunciou a unidade de saúde no seu último boletim informativo.

Economist prevê crescimento de Moçambique de apenas 3,4% em 2019

A consultora Economist Intelligence Unit antevê que Moçambique cresça “apenas 3,4%” no próximo ano, com um desempenho fraco em vários setores da economia, que aceleram depois para 4,5% entre 2020 e 2022.
Recomendadas

Conselho de Ministros moçambicano aprova criação de fundo soberano

O Conselho de Ministros moçambicano aprovou hoje a criação do fundo soberano do país, cuja capitalização deverá arrancar com as receitas deste ano da plataforma Coral Sul, que começou a exportar gás do Rovuma há duas semanas.

Ucrânia: Alemanha garante apoio ao sector energético e entrega “mais de 350 geradores”

A Alemanha vai fornecer “mais de 350 geradores” à Ucrânia, afetada pelos ataques russos contra as suas infraestruturas de energia nas últimas semanas, divulgou hoje o porta-voz do Governo alemão.

Venezuela prepara acordos com petrolífera Chevron após alívio de sanções

A Venezuela anunciou hoje que vai assinar, nas próximas horas, acordos com a petrolífera norte-americana Chevron para impulsionar o desenvolvimento local de empresas mistas (capital público e privado) e a produção de petróleo.
Comentários