Presidente do Bundesbank mostra receios sobre resgate ao italiano Monte dei Paschi

Gorada a tentativa de um aumento de capital de cinco mil milhões de euros, o banco italiano vai precisar de um resgate estatal. , A Itália poderá emitir 20 mil milhões de euros para ajudar o sector,

O presidente do banco central alemão, Jens Weidmann, avisou que os fundos governamentais devem ser utilizados como último recurso e em bancos que mostrem que se encontram saudáveis “no seu núcleo”. Patente, ficou o receio quanto à sustentabilidade do banco italiano, que é um dos mais velhos do mundo.

Em entrevista ao jornal Blid,  Weidmann, que é também membro do Conselho de Governadores do Banco Central Europeu,  frisou que aquando da utilização dos fundos governamentais é necessário existir um financiamento público correspondente, num cenário de elevada dívida pública.

Recorde-se que o parlamento italiano aprovou a possibilidade de Itália poder emitir 20 mil milhões de euros para ajuda estatal à banca e que o estado italiano já apoiou o Monte Paschi duas vezes depois da crise financeira.

Assegurar que sejam os investidores e não os contirbuintes a pagar a fatura dos bancos falidos é a receita sugerida por Weidmann. O presidente do Bundesbank salientou que as regras “devem proteger especialmente os contribuintes e responsabilizar os investidores. Os fundos governamentais devem ser apenas utilizados em último recurso.”.

Entre 2008 e 2014, os governos da União Europeia utilizaram cerca de dois mil milhões de euros em auxílios estatais para resgatar o sector financeiro.

 

Relacionadas

Monte dei Paschi pressiona banca europeia

Promessas de Trump continuam a impulsionar ativos norte-americanos.

Monte dei Paschi vai mesmo ser resgatado pelo Governo italiano

Na sequência do fracasso em obter os cinco mil milhões de euros de que necessita para resistir, o Executivo de Itália reúne-se às 19h30 para discutir a ajuda estatal à banca, aprovada ontem pelo Parlamento.

BCP em queda de 2,69% puxa bolsa de Lisboa para negativo

Banca continua pressionada. Em Itália pelo iminente resgate do Monte dei Paschi, em Espanha pelos custos que vão ter de suportar os bancos com reembolsos a clientes do crédito à habitação, e em Portugal a Fitch deu um “Outlook” negativo à banca nacional.

Monte dei Paschi capta 1.900 milhões em duas ofertas de troca de dívida por capital

O banco ainda não teve manifestações de interesse de privados no aumento de capital. O banco italiano publicou um documento que actualiza a sua situação de liquidez e em que explica que se não conseguir o aumento de capital entra em dificuldades sérias nos próximos quatro meses.
Recomendadas

Emirados Árabes Unidos vão fornecer à Alemanha gás liquefeito e gasóleo em 2022 e 2023

Segundo a agência noticiosa oficial dos Emirados, Wam, o acordo prevê a exportação de uma carga de gás natural liquefeito (GNL) para a Alemanha no final de 2022, seguida do fornecimento de quantidades adicionais em 2023.

Angola cresce 3,5% este ano, mas abranda para 1,8% em 2023

“O forte crescimento de Angola este ano dificilmente vai prolongar-se para 2023, já que a produção petrolífera deverá regressar à tendência decrescente”, lê-se numa análise às maiores economias da África subsaariana, região que deverá ver o PIB deste ano expandir-se 3,3%, abrandando face aos 4,4% do ano passado.

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,
Comentários